Privatização: Audiências em defesa dos bancos públicos tomam país

Porto Alegre (RS), Salvador (BA) e Aracaju (SE) são algumas das capitais que têm realizado ações para denunciar o sucateamento dos bancos públicos promovido pelo governo de Michel Temer. Na opinião de dirigentes bancários e parlamentares o objetivo do governo federal é a privatização dos bancos federais e estatais.

CONSELHO DA CIDADE: PROCESSO DE REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE GUANAMBI

Ontem (11), na Secretaria de Educação, aconteceu a reunião extraordinária do Conselho da Cidade com o objetivo de iniciar os debates sobre o processo de revisão do PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO - PDP de Guanambi, que em dezembro completa 10 anos em vigor e conforme a Lei nº 223.

EROPORTO | - Governador Rui Costa autoriza licitação para a recuperação da pista do aeroporto de Guanambi

No início da tarde desta terça-feira (10), na sua participação semanal com internautas, onde responde a perguntas dos cidadãos de toda a Bahia por transmissão ao vivo realizado pelo facebook, ao ser perguntado sobre o aeroporto de Guanambi, governador Rui Costa, ao lado do Secretário Estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, confirmou a autorização de licitação para o recapeamento da pista do aeroporto municipal Isaac Moura Rocha, onde o mesmo poderá suportar os pousos e decolagens dos aviões ATR-72, justamente o modelo que a empresa Azul linhas aéreas opera na viação regional. A obra está orçada em R$ 4 milhões de reais.

Projeto "Doe Sangue, Salve Vidas!" mobiliza estudantes e professores do Colégio Luiz Viana Filho

A doação de sangue, considerada um ato de cidadania e de solidariedade, vem contribuindo para que muitos cidadãos salvem vidas..

GUANAMBI DESEJA SUCESSO AO HIPER STELLA

A família Stella, com mais de 40 anos de atuação no ramo de supermercado, oferece à população de Guanambi e região, o que há de mais moderno em estrutura, acomodação, praticidade, qualidade e atendimento.

31 de out de 2012

Ferrovia Oeste-Leste é projeto prioritário para o Nordeste



Portal Vermelho



A Confederação Nacional da Indústria (CNI) incluiu a Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) entre os 83 projetos prioritários para a região Nordeste do Brasil. A ferrovia, com quase 1,5 mil quilômetros de extensão, vai ligar Ilhéus, cidade localizada no sul da Bahia, a Alvorada, no Tocantins, onde haverá interseção com a ferrovia Norte-Sul. A FIOL agora integra o projeto Nordeste Competitivo, lançado nesta terça-feira (30/10), na sede da CNI, em Brasília (DF).


O projeto, elaborado pela CNI em parceria com as Federações das Indústrias dos nove estados nordestinos, é um estudo para diagnosticar os principais gargalos na infraestrutura de transportes da região. Além de projetar a produção industrial, agropecuária e extrativista da região até 2.020, identifica a necessidade de investimentos em logística nos próximos anos para permitir o escoamento desses produtos para os mercados interno e externo.

Presente no lançamento, o secretário de Planejamento da Bahia (Seplan), José Sérgio Gabrielli, afirma que “o estudo consegue ter uma visão detalhada e atual para tentar ordenar os investimentos para transporte de cargas da região. Existem outras contribuições como o estudo do Conselho de Secretários de Planejamento, e precisamos fazer convergências desses dois tipos de estudos e aprofundá-los dentro da logística de cada estado. Na Bahia estamos fazendo nossos estudos, para ver não somente essas ligações regionais, mas as vias de disseminação e de pulverização do efeito desses frontais na atividade econômica local”.

Para o secretário, a Ferrovia de Integração Oeste Leste é um eixo extremamente importante de ligação que pretende tornar o setor produtivo do estado da Bahia mais competitivo, com menor custo e mais eficiente. O Nordeste Competitivo é o terceiro estudo realizado pela CNI, que já divulgou planos para o Sul Competitivo e o Norte Competitivo.

No próximo dia 8, será realizada em Salvador, uma reunião técnica entre a Seplan e técnicos da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) para detalhar os projetos de infraestrutura e logística no estado. Além disso, será discutida a convergência de interesses do programa elaborado pela CNI e do Plano já encaminhado pelos secretários de Planejamento dos estados nordestinos ao governo federal, também elencando as obras e os programas necessários para impulsionar a região. E no dia 9 de novembro, os governadores do Nordeste se reunirão na Sudene, para avaliação dos temas de interesse da região.

Responsável por 13,5% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a região Nordeste precisa investir R$ 25,8 bilhões em infraestrutura nos próximos oito anos para garantir o escoamento da produção, sendo R$ 13 bilhões em propostas prioritárias. Esse valor é necessário para tocar os 83 projetos de ampliação e modernização de rodovias, ferrovias, hidrovias e portos em Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

De Salvador,
Ana Emília Ribeiro
Com informações da Secom-BA


ATENÇÃO


O SINEBAHIA ESTÁ OFERECENDO VAGAS PARA OS SEGUINTES CURSOS:


  • PIZZAIOLO;
  • CORTE E COSTURA;
  • CABELEIREIRO;
  • AUXILIAR ADMINISTRATIVO.
OS CURSOS SÃO COMPLETAMENTE GRATUITOS!
Inscrições: Centro de Cultura de Guanambi

Bandidos assaltam Banco do Brasil e Bradesco de Tanque Novo



Bahia Notícias

Bandidos assaltam Banco do Brasil e Bradesco de Tanque Novo
Foto: Blog do Anderson
Seis homens fortemente armados assaltaram na manhã desta quarta-feira (31) as agências do Banco do Brasil e do Bradesco de Tanque Novo, no sudoeste baiano. Durante o assalto, os criminosos dispararam vários tiros na tentativa de intimidar a população. A ação durou cerca de meia hora. Na fuga, a quadrilha levou funcionários e clientes como reféns em uma pick-up Toyta Hilux roubada. Durante o assalto, os bandidos espalharam moedas em frente a uma das agências para tirar a atenção dos transeuntes. De acordo com informações do Blog do Anderson, os reféns já foram libertados. A Polícia Militar e Civil realizam buscas na região para tentar localizar os assaltantes.

Comissão da Câmara aprova criação da Universidade Federal do Sul da Bahia



Bahia Notícias

Comissão da Câmara aprova criação da Universidade Federal do Sul da Bahia
Foto: Divulgação
O colegiado da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (31), o projeto do Executivo que cria a Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba). O deputado federal Afonso Florence (PT-BA) havia pedido, no início da sessão, a apreciação imediata da matéria. A Ufesba deve ser entregue em quatro anos. O modelo institucional e acadêmico para a implantação da universidade será multicampi. Inicialmente, contará com dois campi, nos municípios de Porto Seguro e Teixeira de Freitas, além da sede no município de Itabuna. Serão criados 36 novos cursos de graduação, para atender 11.110 estudantes nos cursos de graduação e pós-graduação. 

Estudantes ocupam Congresso por 100% dos royalties do petróleo


Portal Vermelho


Cerca de 300 estudantes ocupam o Congresso Nacional, desde às  10h30 da manhã desta quarta-feira (31), em Brasília (DF), para exigir a aplicação de 100% dos royalties do Petróleo para Educação. A manifestação, que se concentrará na Câmara dos Deputados, é organizada pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES). 




Cartaz da campanha dos estudantes pelos 100% dos royalties do petróleo e 50% do fundo social do pré-sal para a Educação / divulgação UNE

Os estudantes querem garantir o repasse dos royalties do petróleo e do pré-sal , em um momento decisivo para destinação e função de uma das principais riquezas nacionais para ampliar o acesso à Educação. Hoje, está prevista a votação do projeto de lei que trata da redistribuição dos royalties do petróleo, na Câmara.

Reafirmando sua defesa pela garantia de investimento direto de 100% dos royalties do petróleo e metade do fundo social do pré-sal destinado à educação, este é o Brasil que a juventude relembra ao levantar o manifesto no ato desta quarta-feira:

- os 13 milhões de analfabetos de nossa nação;

- os 3,7 milhões de crianças e adolescentes que estão fora da escola; 

- os mais de 5 milhões de estudantes com idade superior à recomendada nos anos finais do Ensino Fundamental; 

- os 25,5 milhões matriculados no Ensino Fundamental nas redes estaduais e municipais de educação em escolas que precisam de novas estruturas, mais professores, melhor organização, material didático com educação direcionada;

- o alto índice de evasão escolar no Ensino Médio que chega a 10,3%, estudantes que dificilmente terão outra oportunidade;

- os quase 7,5 milhões de estudantes do Ensino Médio matriculados nas redes urbanas e rurais que pedem uma nova escola;

- professores insatisfeitos, mal remunerados e sem incentivo nas salas de aula.

De acordo com texto divulgado pelas entidades estudantis, a destinação dessa riqueza deverá reparar "um erro histórico que o pais cometeu em determinados ciclos de riqueza."

Votação
Na tarde desta terça-feira (30), o presidente da Câmara, Marco Maia, se disse confiante na votação do projeto que trata da distribuição dos royalties do petróleo, embora o governo defenda mais discussão. “São 25 estados brasileiros, cerca de 450 deputados que querem a votação o mais rapidamente possível, isso nos dá garantia de que o projeto será votado”, sustentou.

Pouco antes, o líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), havia defendido que a destinação dos recursos do petróleo seja mais bem discutida, para prever, por exemplo, uma parte das verbas para o financiamento da educação e do desenvolvimento tecnológico.

Marco Maia também considera essa medida importante e considera possível a negociação para chegar a um consenso. “Todos têm interesse em que a educação seja instrumento de desenvolvimento do Brasil, então podemos ter acordo”, afirmou.


10% do PIB para a Educação
Todos os anos com Jornadas de Lutas, a juventude vai às ruas em defesa de uma educação com mais qualidade. A aplicação dos 10% do PIB para área com meta a ser atingida no Plano Nacional de Educação já foi declara pela própria presidenta Dilma Rousseff, utilizando como alternativa de captação a riqueza extraída do petróleo.

para a Ubes e a UNE, somente com investimentos maciços em educação é que o desenvolvimento do país, que vem erradicando a pobreza, se consolidará de maneira estrutural. "O desenvolvimento tecnológico, a construção da nova escola e o protagonismo dos estudantes,a UBES, ao lado dos secundaristas de cada estado do país - rumo à uma conquista sem precedentes, reafirma sua defesa pela aplicação direta na educação por meio dos royalties do petróleo", diz um trecho do texto divulgado.

Da redação com Twiiter da UNE e UBES

30 de out de 2012

Juazeiro: prefeito ganhará R$ 20.420



Câmara de Vereadores aprovou aumento

DO BAHIA TODO DIA 
A Câmara Municipal de Juazeiro aprovou o aumento de salário para os vereadores e o prefeito da cidade a partir da próxima legislatura. Segundo o Blog do Geraldo José, a matéria foi apreciada uma semana antes do primeiro turno das eleições, em uma sessão especial, sem a presença da imprensa ou de populares. 

O gestor reeleito, Isaac Carvalho (PCdoB) receberá R$ 20.420, ou seja, R$ 2,4 mil a mais do que ganhará o prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), assim como acontecerá em Feira de Santana, onde José Ronaldo (DEM) será beneficiado pelo aumento aprovado e ganhará  R$ 26.723,13. Os vereadores de Juazeiro passarão a receber aproximadamente R$ 10 mil. Já os secretários municipais ganharão R$ 9,6 mil.


29 de out de 2012

Crédito farto da Caixa já incomoda concorrentes


ECONOMIA


29 DE OUTUBRO DE 2012 - 17H19 


Camila Pitanga
Camila Pitanga, garota propaganda da Caixa

Portal Vermelho


Reportagem da revista Exame, da Editora Abril, que tem grande influência dos banqueiros Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, do Itaú Unibanco, rotula o banco estatal como “Caixa de Pandora”. Afinal, por que tanto medo do crescimento?


Camila Pitanga é um charme e, inegavelmente, contribuiu muito para atrair clientes para a Caixa Econômica Federal nos últimos meses. Mais do que isso, o principal fator de crescimento do banco estatal foi a forte redução nas taxas de juros. Como a Caixa foi o banco que mais cortou suas taxas, em até 30%, foi também o que mais expandiu sua carteira de crédito, o que fez com que a participação do banco no volume total de empréstimos aumentasse 70% nos últimos três anos.

Este crescimento já incomoda muito os concorrentes, especialmente alguns bancos privados. É o caso, por exemplo, do Itaú Unibanco, que exerce forte influência sobre a Editora Abril. Em reportagem da revista Exame

desta quinzena sobre a política de crédito do banco estatal, o título é 
“Caixa de Pandora”, numa alusão mitológica à origem de todos os males.

Textualmente, a reportagem afirma o que se lê abaixo:

“O problema é que o momento não é exatamente propício para uma postura expansionista. Os brasileiros nunca estiveram tão endividados, a inadimplência está perto do recorde e, segundo um relatório do banco Goldman Sachs, o crédito ao consumo já representa 16% do produto interno bruto, o porcentual mais alto da América Latina. Ainda assim, o plano da Caixa é continuar crescendo.”

Ocorre que, segundo a mesma reportagem, apesar da expansão no volume de crédito, a inadimplência na Caixa mantém-se em 2% - abaixo da média dos bancos privados. E de acordo com relatórios de várias instituições financeiras, a economia brasileira já voltou a crescer em níveis próximos a 4% ao ano. Além disso, o volume de crédito em relação ao PIB no Brasil ainda é pequeno.

Portanto, a pergunta que não quer calar é: por que tanto medo do crescimento? A reportagem de Exame reflete uma preocupação legítima ou o temor de concorrentes, como Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, diante do crescimento de um banco público?

Fonte: portal 247


Segundo turno consolida vitória das forças progressistas


Editorial - Portal Vermelho


Foi o maior reduto tucano que caiu, e a vitória mais importante das forças de apoio da 
presidenta Dilma. Esta avaliação do resultado da eleição em São Paulo, feita pelo 
presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, indica a principal marca da disputa do 
segundo turno da eleição municipal realizada neste domingo (28). 

A vitória de Fernando Haddad, do PT, PCdoB e demais partidos da base aliada do 

governo, e a derrota do tucano José Serra, na disputa para a Prefeitura de São Paulo, 
dão o sentido geral desta eleição, confirmado também pelo desempenho dos partidos 
da base aliada nos demais 49 municípios que voltaram às urnas neste segundo turno.

O resultado final indica um nítido crescimento das forças de esquerda e centro-esquerda, 

e um significativo encolhimento da oposição conservadora e neoliberal, 
mesmo com as vitórias localizadas que alcançou, destacando-se a conquista 
de capitais como Manaus e Belém (PSDB) e, sobretudo de Salvador (DEM), 
que garante uma sobrevida ao cambaleante partido direitista remanescente do período 
da ditadura militar. 

Com a vitória das forças de esquerda e centro-esquerda da base do governo, a 

oposição neoliberal desce um degrau na escala política, embora mantendo ainda 
influência eleitoral.

O cenário da disputa do segundo turno foi 50 das maiores cidades brasileiras, entre 

elas 16 capitais. No resultado final, considerando-se os resultados do primeiro turno 
e os deste domingo, entre as 26 capitais estaduais, o PSB ficou com cinco, o PT quatro, 
o PDT três, o PMDB dois, o PP dois e o PTC um, totalizando 17 prefeituras. 
Destaca-se também o notável desempenho do PCdoB, que tem três vice-prefeitos 
nas capitais: Nádia Campeão em São Paulo (SP), Luciano Siqueira em Recife (PE) e 
Márcio Batista em Rio Branco (AC). 

Destaca-se, nesta eleição, o bom desempenho do Partido Comunista do Brasil que, 

mesmo não alcançando vitórias mais significativas, porquanto não elegeu as prefeitas 
de Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC) e Manaus (AM) e não tendo o desempenho 
projetado em Fortaleza, deu passos em seu processo de acumulação gradual de forças 
no terreno eleitoral. O PCdoB elegeu 56 prefeitos (15 a mais do que em 2008), 
973 vereadores (aumento de quase 60%), além dos vice-prefeitos das três capitais 
já referidas. Entre os municípios que o PCdoB governará destacam-se quatro que 
estão no grupo dos 85 maiores do país: Olinda (PE), Jundiaí (SP), Contagem (MG) 
e Belford Roxo (RJ). Isso além de ter sido protagonista decisivo para a vitória de 
Edivaldo Holanda Júnior (PTC) para a Prefeitura de São Luís (MA).

Em contrapartida, o núcleo duro da oposição neoliberal e conservadora, formado 

pelo PSDB e o DEM, ficou reduzido a apenas seis prefeituras de capitais, saindo 
severamente derrotado na disputa municipal deste ano.

A conclusão inescapável deste resultado, à qual mesmo os comentaristas conservadores 

mais renitentes se curvam, indica o fortalecimento do núcleo de esquerda da base de 
sustentação do governo da presidenta Dilma Rousseff e dos seus aliados de centro e 
centro-esquerda. O eleitor pôs nas mãos de titulares da base aliada mais de 60% 
das prefeituras do país. 

Este diagnóstico é confirmado também quando se considera o desempenho dos partidos 

no chamado G85 formado pelas maiores cidades do país (26 capitais e 59 municípios com 
mais de 200 mil eleitores, somando 50,8 milhões dos eleitores, ou seja, 36,2% do total). 
Nesse grupo, o PT lidera com 16 prefeituras, seguido pelo PSDB com 15, PSB com 11, 
PMDB com seis e o PCdoB com quatro.

Outra forma de avaliar a nova correlação de forças, favorável à esquerda, que surge 

das urnas é a consideração do número de eleitores que estarão sob o governo desta 
ou daquela força política. Somados, os cinco principais partidos da base do governo 
federal (PT, PMDB, PSB, PDT e PCdoB) governarão cerca de 80 milhões de eleitores 
(mais de 60% do total).

A partir destas eleições municipais o Brasil vence mais uma etapa de consolidação do 

seu processo democrático e de evolução das forças de esquerda e centro-esquerda. 
Igualmente, os resultados lançaram as bases para formar a correlação de forças para 
o próximo embate eleitoral de 2014, que envolverá a Presidência da República, 
os governos estaduais, o Senado, a Câmara dos Deputados e as assembleias 
legislativas estaduais.

PT elege maior número de prefeitos na Bahia: 93; DEM é o 10º colocado, com vitória em 9 municípios


Bahia Notícias
por Bárbara Souza
PT elege maior número de prefeitos na Bahia: 93; DEM é o 10º colocado, com vitória em 9 municípios
Em números absolutos, o Partido dos Trabalhadores sai vitorioso das eleições municipais de 2012 na Bahia. A sigla elegeu o maior número de prefeitos no estado, com vitória em 93 municípios. Presidido no estado pelo vice-governador Otto Alencar, o recém-criado PSD é o segundo colocado, com 73 prefeitos eleitos, seguido pelo PP, legenda do atual prefeito da capital baiana, João Henrique, com 52 gestores. O DEM ocupa a 10ª posição no ranking de prefeituras conquistadas nas urnas este ano: foram nove – mesmo número alcançado pelo PSDB. Mas o Democratas derrotou o PT nos dois maiores colégios eleitorais do estado: Salvador, com ACM Neto e Feira de Santana, com José Ronaldo. Aliado do DEM na capital, o PMDB é o quarto colocado com 44 prefeituras, seguido de perto pelo PDT do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, que elegeu 43 gestores. O PSB da senadora Lídice da Mata fez 28 prefeitos na Bahia e o PCdoB da vereadora e ex-candidata a vice-prefeita de Salvador Olívia Santana saiu vitorioso em 13 municípios. 

PCdoB elege 56 prefeitos, sendo 5 em grandes cidades


Portal Vermelho


No segundo turno das eleições, os eleitores foram às urnas em 50 cidades, sendo 17 delas capitais. Com a consolidação dos resultados do 2° turno, o PMDB aparece como partido com o maior número de prefeitos eleitos em 2012. O partido elegeu 1.023 prefeitos, o que representa 18,39% dos municípios do país. Na lista dos partidos com maior número de prefeitos eleitos em 2012 aparecem o PSDB (702), PT (635), PSD (497) e PP (469). O PCdoB elegeu 56 prefeitos. 


Nas capitais, o partido que mais elegeu prefeitos foi o PSB (5), seguido pelo PT (4), PSDB (4), PDT (3), PMDB (2), PP (2), DEM (2), Psol, PSD, PPS e PTC, com 1 prefeito cada. 

No chamado G-85, grupo composto por 26 capitais e 59 cidades com mais de 200 mil eleitores, concentrando 50,8 milhões dos eleitores, ou seja, 36,2% do total, o PCdoB aparece em sexto lugar, com cinco prefeitos eleitos. Nesse grupo, o PT lidera, com 16 prefeituras, seguido pelo PSDB (15), PSB (11) e PMDB (6).

Confira a lista completa do número de prefeitos eleitos por partido.

PMDB 1.023
PSDB 702
PT 635
PSD 497
PP 469
PSB 442
PDT 311
PTB 295
DEM 278
PR 275
PPS 123
PV 95
PSC 83
PRB 78
PCdoB 56
PMN 42
PTdoB 26
PRP 24
PSL 23
PTC 19
PHS 17
PRTB 16
PTN 12
PPL 12
PSDC 9
PSOL 2
Todos os Partidos 5.532
Resultado indefinido 36 municípios

Redação do Vermelho, com agências

PT administrará maior parte do orçamento municipal do país



Bahia Notícias

Com a vitória de Fernando Haddad em São Paulo, o PT é a legenda que governará para o maior número de eleitores no país. Serão 27,6 milhões de pessoas, o que corresponde a 20% do eleitorado brasileiro. Além disso, o partido ficará responsável em administrar a maior fatia das receitas orçamentárias municipais: R$ 76,2 bilhões. Sem a capital paulista – que tem 8,6 milhões eleitores – a sigla teria aumentado da mesma maneira na quantidade de prefeitos eleitos, mas governaria para 2,4 milhões de eleitores a menos em comparação com 2008. O PT foi o terceiro partido em número de prefeitos eleitos, com 634 vitórias entre o primeiro e o segundo turno. Informações da Folha.



28 de out de 2012

Confira quem venceu o 2º turno nas 50 cidades

Portal Vermelho


Neste domingo (28) os eleitores de 50 municípios voltaram às urnas. Nessas cidades, os candidatos mais votados no primeiro turno não conseguiram ter mais da metade dos votos dos eleitores e por isso o primeiro e o segundo candidatos mais votados continuam disputando o pleito.


No entanto, vale lembrar que o segundo turno só é possível em cidades que tenham mais de 200 mil eleitores. Nos municípios que tenham um eleitorado menor do que 100 mil pessoas, os candidatos mais votados são os que vencem.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, a realização do segundo turno foi necessária em 50 cidades de todo o território brasileiro. Nas demais localidades, o novo prefeito que irá assumir o seu posto na administração municipal já foi escolhido. 

Cidades com 2º Turno em todo o país:

Belém, no Pará 
Zenaldo Coutinho (PSDB)

Belford Roxo, no Rio de Janeiro
Dennis Dauttmam (PCdoB)

Blumenau, em Santa Catarina
Napoleão Bernardes (PSDB)

Cariacica, no Espírito Santo 
Juninho (PPS)

Campina Grande, na Paraíba 
Romero Rodrigues (PSDB) 

Campinas, em São Paulo 
Jonas Donizette (PSB)

Campo Grande, no Mato Grosso do Sul 
Alcides Bernal (PP)
Cascavel, no Paraná 
Edgar Bueno (PDT)

Contagem, em Minas Gerais 
Carlin Moura (PCdoB)

Cuiabá, no Mato Grosso
Mauro Mendes (PSB)

Curitiba, no Paraná 
Gustavo Fruet (PDT)

Diadema, em São Paulo 
Lauro Michels (PV)

Duque de Caxias, no Rio de Janeiro 
Alexandre Cardoso (PSB)

Florianópolis, em Santa Catarina 
César Souza Jr. (PSD)

Fortaleza, no Ceará 
Roberto Cláudio (PSB)

Franca, em São Paulo 
Alexandre Ferreira (PSDB)

Guarujá, em São Paulo 
Maria Antonieta (PMDB)

Guarulhos, em São Paulo
Sebastião Almeida (PT)

João Pessoa, na Paraíba 
Luciano Cartaxo (PT)

Joinville, em Santa Catarina 
Udo Dohler (PMDB)

Juiz de Fora, em Minas Gerais 
Bruno Siqueira (PMDB)

Jundiaí, em São Paulo 
Pedro Bigardi (PCdoB)

Londrina, no Paraná 
Alexandre Kireef (PSD)

Macapá, no Amapá 
Clécio (PSOL)

Manaus, no Amazonas 
Arthur Virgílio (PSDB)

Maringá, no Paraná 
Carlos Pupin (PP)

Mauá, em São Paulo 
Donisete Braga (PT)

Montes Claros, em Minas Gerais 
Ruy Muniz (PRB)

Natal, no Rio Grande do Norte 
Carlos Eduardo (PDT)

Niterói, no Rio de Janeiro 
Rodrigo Neves (PT)

Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro 
Nelson Bornier (PMDB)

Pelotas, no Rio Grande do Sul 
Eduardo Leite (PSDB)

Petrópolis, no Rio de Janeiro 
Rubens Bomtempo (PSB)

Ponta Grossa, no Paraná 
Marcelo Rangel (PPS)

Porto Velho, em Rondônia 
Mauro Nazif (PSB)

Ribeirão Preto, em São Paulo 
Dárcy Veras (PSD)

Rio Branco, no Acre 
Marcus Alexandre (PT)

Salvador, na Bahia 
ACM Neto (DEM)

Santo André, em São Paulo 
Carlos Grana (PT)

São Gonçalo, no Rio de Janeiro 
Neilton Mulim (PR)

São Luís, no Maranhão 
Edivaldo Holanda Júnior (PTC)

São Paulo, em São Paulo 
Fernando Haddad (PT)

Sorocaba, em São Paulo 
Antonio Carlos Pannunzio (PSDB)

Taubaté, em São Paulo 
Ortiz Júnior (PSDB)

Teresina, no Piauí 
Firmino Filho (PSDB)

Uberaba, Minas Gerais 
Paulo Piau (PMDB)

Vila Velha, no Espírito Santo 
Rodney Miranda (DEM)

Vitória, no Espírito Santo 
Luciano Resende (PSB)

Vitória da Conquista, na Bahia 
Guilherme (PT)

Volta Redonda, no Rio de Janeiro
Antonio Francisco Neto (PMDB)

Com agências



Conquista: Guilherme vence com 56%



Médico será prefeito da cidade pela quarta vez

DO BAHIA TODO DIA | 28/10/2012| 20h43

O prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes (PT), foi reeleito neste domingo (28). Com mais de 99% dos votos já apurados na cidade, ele acumula 56,26% dos votos válidos, não podendo ser mais alcançado pelo adversário, o radialista Herzem Gusmão (PMDB), que obteve 43,74%.

O prefeito reeleito obteve 49,12% no primeiro turno e por pouco não venceu ali o pleito. No segundo turno, Guilherme recebeu o apoio dos candidatos derrotados Abel Rebouças (PDT) e Edigar Mão Branca (PV).

Guilherme governará Conquista pela quarta vez. Médico, ele chegou à prefeitura pela primeira vez em 1996 e foi reeleito em 2000. Dois anos depois Menezes deixou a gestão para se candidatar a deputado federal. Em seu lugar assumiu o vice, José Raimundo, que foi reeleito e governou a cidade por seis anos, até 2006. Há quatro anos Guilherme voltou a ser candidato e se elegeu para o terceiro mandando, sendo reeleito agora para mais quatro anos à frente da prefeitura. 

O PT parte assim para a quinta gestão consecutiva à frente do município. Neste período, projetou lideranças políticas como os deputados José Raimundo (Estadual) e Waldenor Pereira (Federal). Vieram das gestões petistas em Conquista os secretários estaduais Jorge Solla (Saúde) e Cézar Lisboa (Relações Institucionais), além de ténicos como Emilson Piau (diretor da Serin) e Elias Dourado (Chefe de Gabinete da Secetaria do Trabalho), entre outros quadros.

Com mais 65% dos votos, Bigardi é o novo prefeito de Jundiaí


Portal Vermelho


O deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB) é o novo prefeito de Jundiaí. Com 98,17% das urnas apuradas, o candidato da coligação Confiança Para Renovar aparece com 65,59% dos votos válidos. Luiz Fernando Machado (PSDB) ficou com 34,41%. Os votos brancos somam 2,28% e os nulos, 4,68%. A abstenção está em 11,24%.


Jundiaí tem 374.962 habitantes e é um dos dez municípios que integram o circuito das frutas no interior paulista, o que estimula o turismo rural. O comércio da cidade é desenvolvido em quase todos os ramos.

Bigardi administrará um município com Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 16,6 bilhões, sendo R$ 9 bilhões do setor de serviços e comércio e R$ 5,2 bilhões do setor industrial. Os dados são do levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2009.

Na área de transportes, todas as ferrovias do estado de São Paulo passam, começam ou terminam em Jundiaí, ligando a cidade diretamente ao Porto de Santos, que fica a 110 quilômetros.


Com informações das agências


Apuração em Conquista: Com 50% das urnas apuradas, Guilherme amplia vantagem



Bahia Notícias

O candidato do PT a prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes, segue na ponta com quase 12,4 pontos de frente sobre Herzem Gusmão (PMDB). De acordo com os dados do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), com 50,16% das urnas apuradas (309 unidades), o petista já conquistou 47.170 votos (56,20%) contra 36757 (43,80%) do peemedebista. Nulos somam 2,99% e brancos 1,35%. A abstenção é de 20,46% até o momento.



FHC: PSDB PRECISA RENOVAR-SE. A COMEÇAR POR ELE !


Conversa afiada


Quando pensou em “atualizar” o ideário tucano, FHC reuniu André Lara Resende, Gustavo Franco, Edmar Bacha, Gianotti. Faltou o Brigadeiro Eduardo Gomes

Saiu no Estadão:

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO DEFENDE RENOVAÇÃO NO PSDB


O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso insistiu neste domingo, 28, na necessidade de renovação dentro do PSDB e de o partido voltar a se afinar com o sentimento da população. “A renovação é necessária sempre e o Brasil está mostrando isso mais uma vez hoje”, afirmou o ex-presidente, ao votar no Colégio Nossa Senhora de Sion, na zona oeste da capital paulista, por volta das 12h30.

Fernando Henrique, no entanto, disse que o candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB, José Serra, fez uma campanha “tenaz”. “O Serra é mais jovem do que eu e ele ainda tem a possibilidade de continuar a sua carreira, mas o partido, no geral, precisa de renovação. O momento é de mudança de gerações, mas isso também não quer dizer que os antigos líderes vão desaparecer. Eles têm apenas que empurrar os novos para a frente”, comentou Fernando Henrique.

Questionado por uma eleitora porque não participou mais ativamente na campanha de Serra, Fernando Henrique respondeu que fez tudo que o partido lhe pediu. Ele disse que não acha que o PSDB errou ao escolher Serra ao invés de um novo nome para disputar a Prefeitura da capital paulista neste ano. “Não é erro de campanha que decide a vitória ou a derrota. Como eu disse, é preciso sintonizar com a população. Nem sempre o novo é bom, é preciso ter capacidade para realizar”, afirmou.


O primeiro que o PSDB deve trocar é o guru, o Papa: Fernando Henrique Cardoso, o Farol de Alexandria, aquele que iluminava a Antiguidade e foi varrido num terrremoto.
Até porque a água começa a bater no joelho dele, com a Privataria Tucana ali na esquina.
Quando pensou em “atualizar” o ideário tucano, FHC reuniu André Lara Resende, Gustavo Franco, Edmar Bacha, Gianotti.
Ou seja, o pessoal da década dos 80…
Só faltou convidar o Brigadeiro Eduardo Gomes e o Alain Touraine, aquele intelectual francês muito famoso (no Brasil).
Se o farol não ilumina, o PSDB vai para o despenhadeiro.
Fernando Henrique não tem uma ideia nova desde que abraçou a causa dos maconheiros.
Em matéria de visão de Estado, de projeto de Governo, o Farol pensa hoje o que pensava no Governo: o que pegou na gôndola do neolibelismo (*), como o Salinas, o Menem e Fujimori.
A “geração da dependência” que ocupou e vendeu a América Latina.
São as mesmas ideias que o Urubóloga defende até hoje, de forma obediente.
Mas, tudo isso é trololó.
Ninguém no PSDB tem a grana ou o PiG (**) do Cerra.
Cerra será o candidato do partido contra a Dilma em 2014.
Como ele foi candidato a Prefeito.
Passou com o trator por cima do José Anibal, Tripoli e Bruno Covas.
(O Andrea Matarazzo, docemente constrangido, deixou o trator passar, sem aparente resistência.)
O Aécio Never não tem metade da grana ou metade do PiG (**) dele.
Vai ficar escondido atrás dos morros de Minas.
Em tempo: em Vitória, Luiz Paulo Velloso Lucas tomou uma surra no segundo turno para Luciano Rezende. Velloso Lucas é quadro do círculo mais intimo de Cerra. Foi quem escreveu o “programa” de Governo (sic) do Cerra em 2002.

Paulo Henrique Amorim
(*) “Neolibelê” é uma singela homenagem deste ansioso blogueiro aos neoliberais brasileiros. Ao mesmo tempo, um reconhecimento sincero ao papel que a “Libelu” trotskista desempenhou na formação de quadros conservadores (e golpistas) de inigualável tenacidade. A Urubóloga Miriam Leitão é o maior expoente brasileiro da Teologia Neolibelê.
(**) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.