• 14.08.2018: UM DIA PARA FICAR NA HISTÓRIA DE GUANAMBI

    A TV Latinha registrou com fotos e entrevistas o Dia 14 de Agosto de 2018 – 99 anos de emancipação política de Guanambi rumo ao Centenário da cidade.

  • Guanambi 99 Anos: Abraço à Cidade da Fundação Joaquim Dias Guimarães

    Hoje (14), Dia do Aniversário de Emancipação Política de Guanambi - 99 Anos , a Fundação Joaquim Dias Guimarães - FJDG realizou o 24º Abraço à Cidade na Praça Coronel Cajaíba com a participação de crianças, jovens, adultos, idosos, autoridades, personalidades histórias e lideranças políticas, bem como de diversas entidades comunitárias e de instituições educacionais.

  • Degradação ambiental do Rio Carnaíba de Dentro e os Riachos do Belém e dos Brindes em Guanambi

    De acordo estudos de campo, observa-se que o principal problema de desenvolvimento de Guanambi é a questão ambiental, a preservação das bacias hidrográficas, os resíduos sólidos, o desmatamento das áreas verdes e degradação das áreas históricas e naturais

  • CONSELHO DA CIDADE E CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE VISITAM O RIACHO DO BELÉM EM GUANAMBI

    Hoje 11.08 – Dia do Estudante, uma comissão do Conselho da Cidade e do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Guanambi fez uma expedição pelo Riacho do Belém no trecho do Parque da Cidade até Ponte de Dona Dedé, onde observou-se o processo histórico de degradação da APP - Área de Preservação Permanente. Também analisou o problema do descarte de lixo, esgoto, desmatamento e queimada. Em contra posição identificou-se diversas espécies de aves, peixes, cágados e outros animais silvestres.

  • I Fórum Guanambiense de Educação Ambiental

    Hoje (08), das 8 às 13 horas, aconteceu o I FÓRUM DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE GUANAMBI organizado pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente em parceria com o Conselho Municipal de Meio Ambiente e as secretarias de Educação, Cultura, Esporte e Lazer e de Assistência Social.

RUI DESCARTA CANDIDATOS ALIADOS QUE FORAM DERROTADOS NAS ELEIÇÕES

BAHIA ECONOMICA

RUI DESCARTA CANDIDATOS ALIADOS QUE FORAM DERROTADOS NAS ELEIÇÕES
Com objetivo de mudar um pouco o perfil de sua equipe de trabalho o governador Rui Costa (PT) decidiu não aproveitar pelo não aproveitamento de candidatos derrotados nas eleições de 2018. A montagem do segundo escalão do governo descartou nomes considerados fortes na política por diversos motivos, dentre eles investigações da polícia federal. Foi o caso da ex-deputada estadual Angela Sousa (PSD) que estava cotada para compor o segundo escalão porém não foi aproveitada. Angela é alvo da Águia de Haia, operação que investiga desvios de recursos federais destinados à educação em municípios baianos. Ela teve 38 mil votos na eleição anterior e não foi eleita. Além dela, outro nome especulado para o segundo governo de Rui foi o ex-parlamentar Luiz Augusto (PP).
O progressista foi cotado para o Departamento de Trânsito da Bahia (Detran), mas, até o momento, não há qualquer indícios de que será confirmado no posto. Também derrotado no pleito, o ex-prefeito de Irecê, Luizinho Sobral (Podemos), é outro nome que não foi beneficiado pelo governador. O caso do ex-deputado federal Luiz Caetano (PT) é um pouco diferente. O petista venceu a eleição, mas teve a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, com base na Lei da Ficha Limpa. Sem mandato, esperava-se que Caetano fosse aproveitado na gestão de Rui Costa, mas é outro que ficou de fora.
Ex-prefeito de Alagoinhas, Joseildo Ramos (PT) também entrou na lista de possíveis nomes para assumir uma secretaria de Rui Costa. No entanto, com a vinda de Sérgio Brito (PSD) para a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e de Josias Gomes (PT) para a Secretaria de Desenvolvimento Rural, o petista alagoinhese preferiu ficar com o mandato na Câmara dos Deputados. Suplente do senador Jaques Wagner, o ex-deputado federal Bebeto (PSB) é mais um rejeitado pelo governador. O socialista teria sido sugerido para uma secretaria pela presidente do PSB na Bahia, a deputada federal Lídice da Mata. No entanto, a indicação teria sido rejeitada pelo chefe do Palácio de Ondina. Presidente do PR na Bahia, o ex-federal José Carlos Araújo e o ex-deputado estadual Manassés são mais dois nomes sem sucesso na eleição e sem cargos no governo de Rui Costa.
Share:

Rui anuncia nomes do segundo escalão; Detran, Embasa, Cerb e FLEM seguem indefinidos

BAHIA - POLÍTICA LIVRE 

O governador Rui Costa (PT) anunciou, agora há pouco, durante o programa #PapoCorreria, nomes do segundo escalão do governo. O chefe de gabinete da Secretaria da Administração, Rodrigo Lima, será diretor interino do Detran e na Agerba assume Carlos Henrique. No Desenbahia permanece Francisco Miranda, assim como Diogo Medrado na Bahiatursa. No SAC, assume Demir Barbosa, enquanto na Prodeb permanece Samuel Araújo. Na Superintendência de Infraestrutura e Transporte (SIT), continua Saulo Pontes, da mesma forma Regina Affonso na Fundac. Sérgio Silva assumirá a presidência da Conder, Márcia Telles continua à frente do Inema. Rui também anunciou que Antonio Carlos Tramm assume a presidência da CBPM, enquanto a Junta Comercial será presidida por Andréa Mendonça. No Ibametro permanece Randerson Leal, assim como Wilson Dias continua à frente da CAR e Renata Rossi à frente da CDA. Vicente Neto será o novo superintende da Sudesb, na Bahiagás assume Luiz Gavazza, Cybele Amado assume o Instituto Anysio Teixeira (IAT) e Flávio Gonçalves permanece no IRDEB. Ele não anunciou os nomes da Embasa, Cerb, Fundação Luis Eduardo Magalhães e Detran, que está com um interino.
Segue a lista dos anunciados pelo governador:
Agerba – Carlos Henrique Martins
Bahiagás – Luiz Gavazza
Bahiatursa – Diogo Medrado
CAR – Wilson Dias
CBPM – Antonio Carlos Tramm
CDA – Renata Rossi
Conder – Sérgio Silva
Desenbahia – Francisco Miranda
Detran – Rodrigo Lima Pimentel (interino)
Fundac – Regina Affonso
Ibametro – Randerson Leal
Inema – Márcia Telles
Instituto Anísio Teixeira (IAT) – Cybele Amado
Irdeb – Flavio Gonçalves
Junta Comercial – Andrea Mendonça
Prodeb – Samuel Araújo
SAC – Demir Barbosa
SIT – Saulo Pontes
Sudesb – Vicente Neto
Urbis – Emerson Leal
Share:

Obra de Revitalização atende comunidade beneficiada com contenção de processos erosivos no Médio São Francisco baiano


CODEVASF



A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em parceria com o Exército Brasileiro, está realizando serviços para a contenção de processos erosivos em um trecho de 2,8 quilômetros às margens do rio São Francisco, na localidade de Porto Novo, no município baiano de Barra.

A contenção de processos erosivos está sendo realizada no local graças a uma parceria firmada entre a Codevasf e o Exército Brasileiro, por meio de seu 4º Batalhão de Engenharia de Construção. O investimento é de cerca de R$ 9 milhões, viabilizados em um termo de execução descentralizada firmado entre as instituições.

“O local é um dos diversos pontos críticos ao longo do São Francisco com relação à erosão, e a ação é fundamental para diminuir os processos erosivos e revitalizar, de modo que a população venha a usufruir melhor do rio. As enchentes durante o ano, geralmente de novembro a fevereiro, vão provocando os processos erosivos. Então, a gente faz o talude que promove uma espécie de suavização desse barranco formado, de modo a diminuir essa erosão”, explica o 2º Tenente Carlos, engenheiro civil do 4º BEC.

 “Já executamos cerca de 66% da obra. Logo abaixo do talude, fizemos a trincheira, que serve como suporte para esse talude. Também faremos o plantio de mudas nativas da região em toda a área, o que diminuirá bastante o processo de erosão. Ela irá se tornar uma área de preservação permanente e será cercada. Faremos, ainda, 10 bebedouros, para acesso de animais, espalhados por todos os 2.800 metros da obra. A população também terá acesso a essas áreas. Além disso, na parte urbana do local, na Vila Porto Novo, serão feitos três cais para que os moradores possam usufruir do rio e realizar pesca”, informa o engenheiro civil e fiscal da Codevasf, Luiz Geraldo Bastos. Segundo Luiz Geraldo, as obras devem ser finalizadas no final do mês de novembro de 2019.

Uma das principais finalidades dessas intervenções de recuperação ambiental e de controle de processos erosivos ao longo do rio São Francisco é captar e acumular águas pluviais, aumentando, assim, a infiltração no solo e promovendo o abastecimento dos lençóis freáticos. Os serviços também ajudam a reduzir o escoamento superficial de água, o que evita o arraste de sedimentos, o empobrecimento do solo e o assoreamento dos cursos d’água.

 “A qualidade e a seriedade na execução de serviços são marcas registradas do Exército, e essa é uma parceria extremamente importante para a população da região e para a própria Codevasf, que segue cumprindo o papel de fomentar o desenvolvimento regional. Reforça o nosso intuito de ampliar a parceria com o Exército para futuros trabalhos com essa natureza", diz o superintendente regional da Codevasf, em Bom Jesus da Lapa, Harley Nascimento.

“A revitalização é muito importante porque estão sendo criadas as condições necessárias para que o rio volte à sua condição do passado. Nós temos uma experiência muito boa com relação aos serviços do Exército Brasileiro. O trabalho vai mudar a vida do barranqueiro e de todo o povo dessa região porque vão voltar as condições do rio, vai voltar a pesca. O rio é o sustentáculo do povo que vive em suas margens ribeirinhas. O povo do nosso município está muito satisfeito com essa ação. Esse é um trabalho importante para toda a margem do rio São Francisco”, afirma o prefeito de Barra, Deonísio Ferreira.

A população da comunidade também está animada com a ação. “Tem 33 anos que moro no local. Com o tempo, a gente observou muitas mudanças. A maioria das grandes árvores do local já caiu. Agora, com a presença da Codevasf e do Exército, a gente espera que haja um progresso na condição do rio. A expectativa é que dê tudo certo, como já está dando. A gente observa o trabalho do Exército, está bacana, contribuindo muito com a comunidade. A gente está contente e se dispõe a contribuir da maneira que puder, porque sempre via essa situação e nada podia fazer”, ressalta Adaílton de Araújo Silva, morador do local.

Novas ações de contenção de processos erosivos no rio São Francisco devem ter início no ano de 2019, através de um convênio de R$ 18 milhões firmado entre a Codevasf e a Companhia de Engenharia Rural da Bahia (Cerb). Outras localidades à margem do rio também foram contempladas com as ações, como Gameleira (Sítio do Mato-BA), Malhada (sede do município), Fazenda Grande (Muquém do São Francisco-BA) e Tapera (Xique Xique). “Temos todo o levantamento das áreas mais degradadas às margens do rio São Francisco e estamos envidando esforços para que mais comunidades sejam atendidas” complementa o superintendente regional da Codevasf, Harley Nascimento.



Share:

GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA CRESCE 41% NA BAHIA

BAHIA ECONOMICA

GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA CRESCE 41% NA BAHIA
Dados consolidados do boletim InfoMercado mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE indicam que a geração de energia eólica na Bahia cresceu 41% em 2018. As usinas movidas pela força do vento produziram 1.256 MW médios frente aos 890 MW médios entregues ao Sistema Interligado Nacional – SIN em 2017.
O montante de energia gerado pelas usinas baianas representou, no ano passado, 23,6% de toda energia eólica produzida no País. Quando a capacidade instalada da fonte eólica é analisada, a Bahia também se destaca com incremento de 47% em 2018. Ao final de 2017, a capacidade da fonte no estado era de 2.415 MW, passando a 3.550 MW em dezembro do ano passado.
A Bahia aparece como segundo maior produtor de energia eólica, ficando atrás do Rio Grande do Norte com 1.505,4 MW médios de energia entregues no período analisado. Depois da Bahia aparecem o Ceará com 772,3 MW médios, o Piauí com 638 MW médios e o Rio Grande do Sul com 634,1 MW médios.
Os dados consolidados da CCEE, ao final de 2018, confirmam ainda o estado do Rio Grande do Norte com a maior capacidade instalada, somando 3.849,8 MW. Em seguida aparece a Bahia com 3.550 MW, o Ceará com 2.347,8 MW, o Rio Grande do Sul com 1.777,9 MW e o Piauí com 1.638,1 MW de capacidade.
F
Share:

MP denuncia ex-prefeito de Guanambi por doações irregulares de bens públicos

BAHIA política livre

Foto: Divulgação
O ex-prefeito de Guanambi, Charles Fernandes (PSD)
O Ministério Público estadual, por meio da promotora de Justiça Tatyane Miranda Caires de Mansine Castro, denunciou à Justiça o ex-prefeito de Guanambi, Charles Fernandes (PSD), por doações irregulares de bens públicos, conduta tipificada no Decreto-Lei nº 201/67. A promotora de Justiça também ajuizou uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito por ter doado diversos imóveis públicos a particulares. Entre os imóveis doados constam uma área de 1.200m², no Loteamento Caiçara, que foi destinado inicialmente à empresa Cardoso Fernandes Santana Construções. “Posteriormente, por meio da Lei Municipal nº 707, de dezembro de 2012, o referido imóvel foi retomado ao patrimônio do Município de Guanambi”, explicou a promotora de Justiça Tatyane Castro. Ela complementou que, em seguida, sem que houvesse procedimento licitatório, prévia avaliação do bem imóvel e justificativa plausível, o acionado na condição de prefeito doou o mesmo imóvel à empresa Articasa. “Há uma completa ausência de interesse público na referida doação. Primeiro porque a área doada funciona, até a presente data, como mero depósito de mercadoria de uma empresa sediada no centro da cidade, que funciona num imóvel locado. Segundo porque, conforme declarado pelo próprio beneficiário, sua empresa gera pagamento de ICMS inferior ao valor de R$ 10 mil mensais. Terceiro porque, em três anos, a referida empresa gerou apenas três empregos, uma média de um por ano”, explicou a promotora de Justiça. Na ação, o MP requer a concessão de medida cautelar de indisponibilidade de bens, a fim de determinar o imediato bloqueio dos bens do ex-prefeito e da empresa Articasa Artigos Domésticos e seus sócios até o valor de R$ 300 mil, mais juros e correção monetária, relativos ao prejuízo causado, mais a multa de duas vezes o referido valor do imóvel. O MP também ajuizou ação civil contra o Município de Guanambi e a empresa Articasa para declaração de nulidade de doação de bem público. No documento, a promotora de Justiça requer a devolução da propriedade da área pública citada no artigo 1º da Lei Municipal nº 721/2013, e a sua transferência formal ao Município de Guanambi, com os registros, anotações e averbações cabíveis; e a incorporação ao acervo público municipal, sem custo algum para o erário, e de todas as construções e levantamentos porventura ali realizados pela empresa Articasa.
Share:

Inaugurado colégio com capacidade para 600 alunos em Rio do Antônio


AscomGovBA

A nova sede do Colégio Professora Lia Publio de Castro, em Rio do Antônio, no sudoeste da Bahia, foi inaugurada pelo governador Rui Costa nesta segunda-feira (25). Localizada no distrito de Ibitira, a unidade escolar tem capacidade para mais de 600 alunos, além de laboratórios, biblioteca e quadra coberta. 

Na ocasião, o governador também entregou certificados de Cadastro Ambiental Rural (CAR) para os produtores Maria de Lourdes Santos e Lourisvaldo Madureira, simbolizando 629 propriedades que foram licenciadas, e autorizou a Associação de Pequenos Produtores de Olhos D'Água a celebrar convênio, no valor de R$ 177 mil, no âmbito do programa Bahia Produtiva.

"Fico feliz de estar entregando mais uma escola, com investimento de R$ 3 milhões. São oito salas de aula, biblioteca, sala de informática e quadra coberta. É uma infraestrutura melhor para que os nossos jovens tenham condições de melhorar seu desempenho. Era um compromisso nosso que hoje se materializa ", disse Rui. 

O governador anunciou ainda a urbanização da rua de acesso ao colégio, "para dar melhores condições dos estudantes chegarem à escola. A licitação já está autorizada e, daqui a alguns dias, nós vamos colocar esse asfalto”. Para a estudante Andrena Brito, do 3º ano do ensino médio, "a escola nova dá um incentivo para a gente estudar de forma mais adequada. Nunca tivemos essa experiência com laboratório, por exemplo". 

Foto: Fernando Vivas/GOVBA
O colégio ganhou sala de informática e laboratórios, além de quadra coberta
(Foto: Fernando Vivas/GOVBA)

De acordo com o secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, o Governo do Estado tem investido em infraestrutura, pessoal e formação para melhorar os índices educacionais. "Uma agenda é essa de entrega de escolas adequadas à realidade de cada município, com biblioteca, refeitório, laboratório e tudo mais. A outra é de pessoal; já convocamos um conjunto de professores e coordenadores pedagógicos. E a agenda mais densa que faremos é de formação e qualificação de professores, diretores, vice-diretores e coordenadores. Vamos juntar tudo isso para promover um bom processo de aprendizagem dos alunos", explicou o secretário. 

Agricultura familiar

Executado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), o Bahia Produtiva tem como finalidade garantir sustentabilidade e inclusão socioprodutiva a famílias de comunidades rurais baianas. O programa é resultado de um acordo de empréstimo firmado entre o Governo do Estado e o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Bird).
 
Em Rio do Antônio, Rui lembrou que a Bahia é o estado brasileiro com o maior número de agricultores familiares. Neste sentido, "nós precisamos fortalecer as cooperativas e associações, aumentar a produtividade e a mecanização, porque se o povo passar a produzir mais, com a qualidade melhor, este dinheiro vai melhorar a vida dos pequenos agricultores e fortalecer o comércio nas cidades do interior”.

Outra ação para os pequenos agricultores na Bahia é a certificação ambiental rural. “Segundo a lei, todo proprietário rural, grande ou pequeno, precisa ter o certificado ambiental para poder ter os benefícios, como pegar empréstimos nos bancos. Por isso, o Governo do Estado contratou empresas especializadas para emitir os certificados. Nós já regularizamos mais de 400 mil propriedades na Bahia”, acrescentou o governador. 

O agricultor Lourisvaldo Madureira destacou que a certificação "é muito importante para nós que vivemos na roça. Com esse cadastro, podemos fazer empréstimo em banco, o que facilita e melhora bastante a nossa vida". 

Repórter: Raul Rodrigues

Share:

MÉDICO GUANAMBIENSE CONCLUI IMPORTANTE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA – UTI



O jovem médico Guanambiense Dr. Lucas Rodrigo de Oliveira Viana conquistou mais uma relevante vitória em sua carreira médica. Dr. Lucas concluiu no estado de São Paulo uma importante especialização médica em medicina intensiva – UTI.

O curso teve uma duração de três (03) anos e foi promovida pela Santa casa de Ribeirão Preto, uma renomada e importante instituição médica dentro do estado de São Paulo.

Dr. Lucas Rodrigo é formado pela Escola Latino – Americana de Medicina de Cuba, uma importante escola de medicina reconhecida internacionalmente.
Após ser aprovado pelo revalida, o jovem médico Guanambiense exerce o seu ofício no estado de São Paulo onde constituiu família.
Neste momento de júbilo, o médico recebe os parabéns da mãe Ana Viana, irmãos, da esposa Cristiane, dos filhos: Alice, Lucas Filho e de centenas de amigos de Guanambi.
Em tempo, nós do Radar Guanambi e da Rádio 104,9 FM compartilhamos desta importante conquista.
Por:. Radar Guanambi e Rádio 104,9 FM
Share:

Venezuela, a maior ajuda é construir a paz

PORTAL VERMELHO

A divulgação, quase em tempo real, dos preparativos para uma intervenção comandada pelos Estados Unidos contra o estado soberano da Venezuela ameaça a paz em todo o continente sul-americano. A ação intervencionista anuncia-se travestida de ajuda humanitária, supostamente para amenizar as dificuldades vividas pelo povo venezuelano.

  
As cargas de trigo e remédios, na verdade, são invólucros de mais uma guerra por petróleo capitaneada por Donald Trump. Tanto é assim que os Estados Unidos deslocaram à região navios de guerra e soldados.

Essa marcha de uma máquina de guerra em direção à Venezuela agride, viola o direito internacional e trata-se de um novo e mais agressivo capítulo da ofensiva do imperialismo estadunidense para extirpar o ciclo de governos patrióticos e populares na América do sul, e, impor governos serviçais do tipo Macri, na Argentina e Bolsonaro no Brasil.

Ademais, essa ameaça de guerra é movida pela necessidade do complexo industrial-militar norte-americano de manter as margens astronômicas de lucratividade. A indústria da guerra se alimenta do imenso orçamento para gastos militares e de defesa nos EUA de US$ 716 bilhões por ano, ou cerca de 3,5% do atual PIB daquele país.

Mas apesar de seus gastos vultosos, a máquina de guerra norte-americana tem encontrado resistência em realizar mais ações no Oriente Médio e Ásia por conta da força militar de Rússia e China, que além de serem potências nucleares, vivem um processo intenso de modernização de suas forças convencionais. E dentro destes limites, os falcões de Washington agora voltam seus olhos para uma dupla oportunidade de manter os negócios andando.

A Venezuela, alvo da vez, tem as maiores reservas de petróleo bruto, com 300 milhões de barris, superando a Arábia Saudita (266 milhões de barris), o Irã (158 milhões de barris) e o Iraque (142 milhões de barris). Ou seja, uma ação militar contra a Venezuela alimentaria a lucratividade do complexo industrial-militar e permitiria aos norte-americanos acesso à maior reserva de petróleo do mundo.

Lamentavelmente, Brasil, sob o comando de Jair Bolsonaro, se curvou às ordens da Casa Branca e atrelou-se a essa provocação de guerra fantasiada de ajuda humanitária.

O Brasil sob o governo Bolsonaro vai se apequenando e transformando-se em caixa de ressonância de ideais que em nada guardam sintonia com a tradição diplomática do Brasil.
O mundo diplomático assiste, surpreso, o comando do Itamaraty, uma instituição construída sob os auspícios do Barão do Rio Branco, ajoelhar-se aos interesses econômicos e militares do governo de Donald Trump. Não bastasse isso, ao ser arrastado à esta aventura temerária, o governo Bolsonaro fere o princípio de respeito à soberania e autodeterminação dos países, consagrados ao longo de mais de um século pela diplomacia brasileira.

A conduta do atual governo agride ainda a Constituição brasileira. O texto constitucional, no artigo 4º, expressa, dentre os princípios que regem a República Federativa do Brasil, a autodeterminação dos povos; a não-intervenção; a igualdade entre os Estados; a defesa da paz e a solução pacífica dos conflitos.

Caudatário desta agressão a um país soberano, cuja desdobramento poderá levar a um grave conflito militar, o Brasil corre o risco de ser envolvido em uma ação bélica contra um país vizinho. Algo que não acontece há mais de 140 anos, quando ocorreu a Guerra do Paraguai.

Há em curso uma forte pressão de Donald Trump para que o Brasil capitule e ceda o território nacional para operações militares dos Estados Unidos. Se isso vier ocorrer, será um ato de traição à pátria. Uma sujeição inaceitável e desonrosa que ameaçaria a soberania nacional. O país correria um grave risco de ter, em seu solo, tropas uma potência estrangeira que sempre cobiçou a Amazônia brasileira.

A participação do Brasil nesta ação intervencionista tem gerado intenso debate em amplos segmentos da sociedade brasileira. Há contradições inclusive no seio do próprio governo, pondo de um lado o Ministro das Relações Exteriores e de outro a área militar, inclusive o Ministério da Defesa. É preciso que os segmentos democráticos, patrióticos e progressistas se manifestem em defesa de uma solução diplomática, pacífica, para a crise na Venezuela. Solução que respeite a soberania desse país.

É preciso, com a bandeira da paz nas mãos, repudiar e deter essa marcha criminosa que ameaça desencadear conflito bélico que atingirá não apenas a Venezuela, mas a região como um todo.
É preciso pressionar o governo Bolsonaro para que, imediatamente, retire o Brasil dessa aventura perigosa liderada pelos Estados Unidos de Donald Trump. É imperativo exigir que a diplomacia brasileira, fiel a sua trajetória, se empenhe pela paz e por uma solução negociada, que supere o presente impasse.

 Da redação Portal do Vermelho
Share:

Plano de Desenvolvimento Integrado projeta a Bahia para o ano de 2035

AscomGovBA

A Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan) está coordenando a elaboração do Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) da Bahia, tendo como horizonte o ano de 2035. Para a sua construção, foram realizadas plenárias territoriais, seminários temáticos, reuniões setoriais com entidades parceiras do estado, a exemplo do Sistema S, e também com especialistas de cada um dos cinco eixos temáticos que compõem o documento. A previsão da Seplan é que o PDI Bahia 2035 seja lançado oficialmente neste primeiro trimestre de 2019.

O superintendente de Planejamento Estratégico do Estado, Ranieri Muricy Barreto, destaca a abrangência do plano. “O PDI nasce dessa necessidade de integrar todas as políticas públicas do Estado, exatamente porque a conjuntura nos impõe planejar essas políticas para buscar melhorar o nível de execução e, consequentemente, melhorar a vida das pessoas onde elas vivem. O que significa essa integração? Significa a construção coletiva de uma visão de futuro que expressa o Estado da Bahia desejado em 2035 e, a partir daí, todos os instrumentos de planejamento são trabalhados com o olhar para o PDI, que é o Plano de Desenvolvimento a longo prazo”, afirma. 

Ranieri também ressalta que o PDI é um documento norteador e integrador de todas as políticas públicas planejadas para a Bahia. “Nesse sentido, exatamente agora, todas as secretarias de Estado estão realizando seus Planejamentos Estratégicos Organizacionais baseados no Programa de Governo Participativo [PGP], que sagrou-se vencedor nas ultimas eleições, com uma avaliação do Plano Plurianual atual, com  uma avaliação das Escutas que estão sendo realizadas em todos os Territórios de Identidade e isso tudo vai permitir que estas secretarias façam seus planejamentos setoriais com reflexo no PPA 2020-2023”, explica. 

O documento está em fase de conclusão e leva em consideração a integração e a transversalidade de políticas públicas das mais diversas áreas de atuação do Estado. Por isso, de acordo com Ranieri, o plano será balizador para a construção dos próximos Planos Plurianuais do Estado e dos planejamentos estratégicos das secretarias de governo, lançando um olhar de futuro para o desenvolvimento econômico e social da Bahia. 

Ainda de acordo com o superintendente, o PDI reúne o que foi consenso em todas as atividades realizadas com os mais variados setores da sociedade e do governo, com prioridade para as áreas apontadas como prioritárias, a exemplo da Educação, Saúde, Segurança Pública, Economia, Infraestrutura, Modernização do Estado e sua Gestão. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia (Codes) são parceiros na construção do PDI Bahia 2035.
 
Fonte: Ascom/Seplan
Share:

Posse da diretoria do Grêmio Estudantil do CEEP de Guanambi


 

No dia 21, aconteceu a posse da Diretoria do Grêmio Estudantil do Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde e Gestão (CEEP) de Guanambi com as presenças da Diretora Geral - Maria Do Carmo Carneiro, Vice-Diretora do Financeiro - Claudiana Lima, Vice-Diretora do Mundo do Trabalho – Graça Donato, professores Joaquim Alves e Leni Teixeira, ex-alunos do antigo Centro Educacional João Durval Carneiro, Manoel Messias e Gileno, que foram membros do grêmio estudantil.

Depois de 20 anos, os estudantes resgataram a entidade estudantil e realizaram a eleição do grêmio livre com o apoio da vice-diretora Graça Donato.




 DIRETORIA:

Presidente: Santiago
Vice Presidente: Tiago  
Secretário Geral: Kely
1ºsecretário: Rafael
Tesoureiro Geral: Graciele
1° Tesoureiro: Maria Aparecida
2ºtesoureiro: Flávia
Diretor de Imprensa: Larissa
Diretor de Esportes: Mateus
Diretor de Cultura: Fernanda
Diretor de Saúde e Meio Ambiente: Ariane
 Diretor Social: Wilton






Share:

Território Sertão Produtivo elege prioridades para o PPA 2020-2023

 





As áreas prioritárias para a execução das políticas públicas do Governo do Estado no território Sertão Produtivo foram definidas nesta quinta-feira (21), na escuta territorial, que consistem no diálogo de técnicos da Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan) com representações dos segmentos institucionais, produtivos, sociais e econômicos.

O Território Sertão Produtivo é formado por vinte municípios, sendo eles: Guanambi, Brumado, Caetité, Palmas de Monte Alto, Iuiú, Candiba, Pindaí, Urandi, Tanque Novo, Sebastião Laranjeiras, Ibiassucê, Caculé, Rio do Antônio, Malhada de Pedras, Tanhaçu, Ituaçu, Contendas do Sincorá, Dom Basílio, Livramento de Nossa Senhora e Lagoa Real A atividade, realizada durante todo o dia, no auditório do Colégio Modelo no município de Caetité, irá subsidiar a elaboração do Plano Plurianual (PPA) 2020-2023.

A iniciativa é uma importante oportunidade de pactuar junto ao Governo do Estado as ações e programas que vêm sendo construídos no âmbito do território com o diálogo permanente entre os diversos atores sociais locais.

Planejamento de políticas públicas

Durante a escuta territorial é realizada a leitura e validação das propostas contidas no Plano de Governo Participativo (PGP), do Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) Bahia 2035 e do Plano Territorial de Desenvolvimento Sustentável (PTDS) e eleição para escolha das 30 prioritárias que serão encaminhadas às secretarias de governo para análise e construção das metas e compromissos do PPA 2020-2023.

O PPA, que tem vigência de quatros anos, é um dos instrumentos legais de planejamento das políticas públicas. Nele, os gestores eleitos de todos os entes federados declaram sua visão de futuro, objetivos e diretrizes estratégicas, programas temáticos com indicadores, compromissos e metas para alcançá-los. 



















Fonte: Ascom/Seplan

Share:

BOLSONARO VAI AO CONGRESSO PARA ACABAR COM APOSENTADORIA INTEGRAL


Jair Bolsonaro irá ao Congresso Nacional na manhã desta quarta-para entregar o projeto de reforma da Previdência Social de seu governo; a solenidade tem três marcos simbólicos: será um presidente cambaleante politicamente que se apresentará aos parlamentares, depois da sucessão de crises dos primeiros 45 dias de seu governo; levará um projeto que mexe com interesses e direitos de quase todo o país mas que é quase secreto, não foi divulgado à sociedade até agora; e irá proclamar, na prática, o fim da aposentadoria integral no país.

247 - Jair Bolsonaro irá ao Congresso Nacional na manhã desta quarta-feira (20) para entregar o projeto de reforma da Previdência Social de seu governo. A solenidade tem três marcos simbólicos: será um presidente cambaleante que se apresentará aos parlamentares, e não por suas condições físicas, mas por uma situação política quase terminal, depois da sucessão de crises dos primeiros 45 dias de seu governo; ele levará um projeto que mexe com interesses e direitos de quase todo o país. mas que é quase secreto, não foi divulgado à sociedade até agora; e irá proclamar, na prática, o fim da aposentadoria integral no país.
Com as regras que vazaram até o momento, sabe-se que a equipe de Paulo Guedes montou uma equação que, na prática, impedirá que qualquer pessoa aposente-se com o benefício integral, pois será necessária a combinação da idade -65 anos para homens e 62 para mulheres- com 40 anos de contribuição, o que é quase impossível. Com o enfraquecimento da legislação trabalhista nos últimos anos e, agora, com a reforma trabalhista, serão raros aqueles que alcançarão os 40 anos de contribuição. Metade dos posto de trabalho no país atualmente são informais, não recolhem para a Previdência Social, e a situação deve se agravar. Será quase extinta a figura do segurado do INSS que rebem 100% do salário de contribuição.
O governo já anunciou oficialmente que a idade mínima para aposentadoria na proposta será de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. O prazo de transição será de 10 anos para homens e 12 anos para mulheres.
Se praticamente ninguém poderá gozar da aposentadoria integral, o piso também desabará. A pretensão do governo é que o salário mínimo deixe de ser a referência. Guedes pretende desvincular a aposentadoria do salário mínimo e estabelecer um benefício de R$ 500 reais como piso. Não se sabe se a proposta constará do pacote.
Outra questão crucial do projeto é a mudança do conceito de Previdência do país. Em vez de ser um fundo solidário gerado pela contribuição de todos para um fundo comum, a equipe de Paulo Guedes pretende implementar um regime de capitalização –pelo qual cada trabalhador financia a própria aposentadoria por depósitos em uma conta individual administrada por bancos privados. O modelo, adotado pelo Chile, onde Guedes atuou no governo de Augusto Pinochet, levou à quebra do sistema de seguridade social e à miséria os aposentados.
A situação política do governo Bolsonaro é tão confusa que ao amanhecer desta quarta-feira não se sabia o que de fato constará do projeto. Durante a campanha eleitoral, tanto Jair Bolsonaro como Paulo Guedes anunciaram que a destruição da Previdência Social seria "a mãe de todas as reformas" ultraliberais pretendidas e cantavam em prosa e verso a certeza de sua aprovação. Com a evolução do cenário político, o entusiasmo diminuiu e já há indicações de que a reforma pode ser rejeitada ou então aguada a tal ponto pelos parlamentares que seja completamente descaracterizada.
Enquanto isso, a economia segue arrastando-se, ao contrário dos anúncios retumbantes do dia seguinte às vitória da extrema-direita em outubro.
Share:

Acesse e Leia!

Seguidores

Mais Vistos da Semana

Arquivo do blog

Arquivo do blog