maio 28, 2015

Valec e o Ibama

Tribuna da Bahia - Raio Laser
Com o objetivo de obter respostas e intensificar o debate sobre o andamento das obras da Ferrovia da Integração Oeste/Leste e do Complexo Intermodal Porto Sul, a Comissão Especial da FIOL e do Porto Sul, da Assembleia Legislativa da Bahia, aprovou uma ida a Brasília e, posteriormente, a realização de uma audiência pública no município de Ilhéus. A proposta é buscar respostas dos órgãos envolvidos para levar à população dados da real situação desses projetos estruturantes de extrema importantes para a economia baiana.


Marta Suplicy não perderá mandato por saída do PT após decisão do STF

Quarta, 27 de Maio de 2015 - 18:40

Bahia Notícias



Marta Suplicy não perderá mandato por saída do PT após decisão do STF
Foto: Divulgação
Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (27) deve beneficiar a senadora Marta Suplicy, eleita pelo PT de São Paulo edesfiliada recentemente da sigla – destino provável é o PSB. O plenário da Corte definiu que, em casos de mudança de partido para políticos eleitos para cargos majoritários, não há a perda do mandato. Segundo entendimento do STF, a perda do mandato de prefeitos, governadores, senadores e presidente da República não se aplica quando houver troca de partido porque viola a soberania popular. A Corte julgou inconstitucionais dispositivos de resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que aplicavam aos eleitos em pleitos majoritários as mesmas regras válidas para os candidatos eleitos em eleições proporcionais, como vereadores, deputados estaduais e deputados federais.

FERROVIA QUE CHINESES VÃO CONSTRUIR PODE VIABILIZAR OU INVIABILIZAR A FIOL

Bahia Econômica
21/05 - 08:39hs -
 


O acordo entre Brasil, China e Peru sobre a construção da ferrovia Transoceânica, ligando Atlântico e Pacífico, tem tudo a ver com a Bahia e, a depender do traçado escolhido, pode fortalecer ou inviabilizar a Ferrovia Oeste-Leste, ora em construção, e o Porto Sul.

A grande incógnita será qual ferrovia será usada para chegar ao Oceano Atlântico. A ferrovia Transoceanica prevê um traçado desde Campinorte (GO), por onde já passa a ferrovia Norte-Sul, até o litoral peruano, segundo o memorando assinado esta semana.

Esse traçado seria muito bom para a  Bahia, pois bastaria que a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) entroncasse em Campinorte, Goiás, como quer o governo do Estado, para que viabilidade econômica da Fiol e do Porto de Sul estivesse garantida.

Esse traçado garantiria a criação de um corredor de exportação de minério, tendo o Porto Sul como porto principal, o que garantiria finaciamentos para sua implantação.

Há, no entanto, dois entraves. O primeiro é que o Rio de Janeiro quer que a Transoceânica termine no  Porto do Açu, no Rio, como consta no traçado previsto na lei 11.772/2008 para a ferrovia.

O segundo entrave  é que o governo já tem o trecho de Campinorte até Lucas do Rio Verde, conhecida como Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), aprovado pelo Tribunal de Contas da União e pronto para ser concedido há mais de dois anos.  Hoje não há demanda para essa ferrovia, mas o presidente chinês, Xi Jinping, manifestou interesse na sua concessão o ano passado. Se esse tracado for escolhido, a Fiol terá dificuldades em atrair cargas.

Pelo acordo os  chineses vão financiar três mil quilômetros do trecho brasileiro da Transoceânica, o problema é saber qual será a ligação até o Atlântico. Por isso, os executivos baianos deveriam estar lutando para acelerar as oabras do trecho da Fiol que vai até o Oeste e daí a Goiás, pois essa será a forma de se integrar na ferrovia Transoceânica.

TROCA NO COMANDO DA EMBRATUR É PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO

Bahia Econômica
28/05 - 09:15hs -
 

 
 
No papel de presidente da República em exercício, o vice-presidente Michel Temer exonerou o advogado e turismólogo Vicente Neto do cargo de presidente da Embratur, autarquia ligada ao Ministério do Turismo responsável pela promoção das atividades turísticas no país. Para o lugar de Neto, foi nomeado o cientista político catarinense Vinícius Renê Lummertz Silva, ex-secretário nacional de Políticas de Turismo. A troca no comando da Embratur foi oficializada na edição desta quinta-feira (28) do "Diário Oficial da União".
 

NO CENTRO DO ESCÂNDALO, HAWILLA É LIGADO À GLOBO



José Hawilla, dono da Traffic Group, maior agência de marketing esportivo da América Latina, réu confesso que aceitou a pagar US$ 151 milhões no caso da Fifa, fundou em 2003 a TV TEM - a maior afiliada da Rede Globo, cobrindo 318 municípios e 7,8 milhões de habitantes, alcançando 49% do interior paulista; nos últimos dez anos, estima-se que o faturamento anual da empresa de J. Hawilla gire em torno de US$ 500 milhões (R$ 1,6 bilhão). 247 Brasil

CUNHA MANOBRA E APROVA FINANCIAMENTO PRIVADO



A manobra do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), funcionou e ele conseguiu, através de uma emenda do deputado federal Celso Russomano (PRB), recolocar em votação o financiamento empresarial de campanha; a nova proposta, que insere na Constituição a permissão das empresas doarem exclusivamente aos partidos - e não aos candidatos - foi aprovada por 330 votos; 141 deputados votaram contra; com o apoio da maioria dos líderes, Cunha quebrou um acordo anterior, pressionou aliados e ressuscitou o tema, que havia sido reprovado na votação da madrugada; após duas derrotas no primeiro dia de discussão da reforma política, o presidente da Câmara teve nesta quarta (27) uma vitória. 247 Brasil

FIM DA REELEIÇÃO TEM PLACAR ACACHAPANTE NA CÂMARA


Por 452 votos a favor, 19 contra e 1 abstenção, o Artigo 3º do relatório do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que acaba com a reeleição para os cargos executivos, foi aprovado nesta quinta-feira; 'Com esta ousadia da Câmara, Eduardo Cunha retomou a ofensiva na reforma, depois de salvar com uma manobra o financiamento privado constitucionalizado. Há um longo caminho pela frente – o segundo turno na Câmara e dois turnos no Senado – e agora um dilema a ser enfrentado pelos deputados: sem reeleição, de quantos anos será o mandato do presidente?', diz a colunista do 247 Tereza Cruvinel; proposta não se aplica aos prefeitos eleitos pela primeira vez em 2012 e aos governadores também eleitos pela primeira vez em 2014, nem a quem os suceder nos seis meses anteriores ao pleito; ela não cabe à presidente Dilma Rousseff,  porque, já reeleita, não poderá se candidatar em 2018. 247 Brasil