Sítio arqueológico de 2 mil anos é encontrado no canteiro do Parque Eólico de Brumado

Um sítio arqueológico foi encontrado dentro do canteiro do Parque Eólico da Serra das Araras, na região do Distrito de Cristalândia, em Brumado.

Confira Os Melhores Destinos Para o Ecoturismo Na Região, Comocoxico, Pesma, Morro do Chapéu, Serra dos Montes Altos

O São João está chegando e muitos já planejaram onde vão curtir este período festivo, considerado por alguns, como a melhor época do ano. No estado da Bahia as cidades da microrregião de Guanambi vêm se destacando como roteiro alternativo

FIOL É OFERECIDA AOS CHINESES COMO 1º TRECHO DA FERROVIA

O secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério do Planejamento, Hailton Madureira, disse em matéria no jornal o Estado de São Paulo, que o governo dialoga com o setor privado para ver se há interesse das empresas em construir um trecho da Ferrovia de Integração Oeste-leste (Fiol)

REVIVENDO O SÃO JOÃO DO PASSADO EM GUANAMBI

Os colonos portugueses trouxeram a tradição do São João para o Brasil. As festas juninas têm origem no meio rural e visava saudar os elementos da natureza – o sol, o céu, a água – dançando e cantando em comemoração à fartura da colheita.

UNAJUF postula perda do cargo de Gilmar Mendes

O Juiz federal João Batista de Castro Júnior, vice-presidente da União Nacional dos Juízes Federais (UNAJUF), assinou juntamente com o presidente da referida entidade, Eduardo Cubas, uma representação por Improbidade contra o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF)

29 de out de 2008

EDITORIAL

Kassab, Serra e 2010: já ganhou?

Apoiadas na reeleição de Gilberto Kassab (DEM) em São Paulo, as classes dominantes e sua mídia aplaudem o governador tucano José Serra como o grande vencedor de 2008 e o seu candidato presidencial em 2010. Seu entusiasmo beira o delírio.

Até a compostura foi-se. Ninguém mais guarda as aparências segundo as quais o candidato de Serra, de anel no dedo e papel passado, era Geraldo Alckmin, Kassab era ''o outro'', e a maior cidade eleger prefeito do PSDB foi São Luís do Maranhão –com métodos que incluíram a pasta apreendida pela Polícia Federal no domingo, cheia de notas de R$ 20,00 destinadas a comprar votos.

A tonelagem do bulldozer com que atropela seus rivais – agora Alckmin, em 2002 Roseana Sarney – é uma das marcas do estilo Serra. Outra é o controle da mídia, buscando submeter todo veículo à condição de claque. É ele que preserva Serra de críticas a um governo medíocre, privatizante e socialmente cruel.

Ainda agora, o pais estarreceu-se com o desfecho do seqüestro da jovem Eloá Pimentel; a mídia atirou-se à pauta com avidez vulturina,criticando tudo exceto o governador de São Paulo, responsável pelasegurança. Os policiais civis travam longa greve por salários edignidade; a PM os impede de chegar ao Palácio dos Bandeirantes com bombas de gás e efeito moral; os professores se indignam com a burla da Lei do Piso Salarial Profissional Nacional… Mas o escudo midiático protege Serra de tudo e ainda o vende como grande vencedor.

O escudo funciona também no conflito intratucano entre Serra e Aécio Neves. O governador de São Paulo reelegeu o prefeito da capital? Hosana! O governador de Minas elegeu o de Belo Horizonte? É, mas não teve a votação esperada…

A torcida serrista agora é que a crise nascida nos Estados Unidos cause o máximo de estragos no Brasil e em especial na popularidade do presidente Lula. Durante a última crise, em 2002, Serra disputou aPresidência com Lula e perdeu em todos os estados exceto Alagoas. Em 2010 o tucano e seus cortesãos esperam que o quadro se inverta, e o mantra de que ''Lula não transfere seu prestígio'', repetido mil vezes, vire verdade.

Não se julga aqui o indivíduo José Serra, que um dia já foi presidenteda UNE, e um jovem economista exilado no Chile a acusar o crescimento perverso sob a ditadura de 1964. Avalia-se o papel político de quem se tornou o último trunfo na manga das classes dominantes, com destaque para a plutocracia paulista, visando recobrar o governo federal perdido.

Num país cindido por um abismo social e portanto político, esse é o lado dos inimigos do povo trabalhador, do progresso, da independência e da equidade. Foi o lado derrotado em 2002, 2006 e também em 2008, na maioria das cidades (4.151 a 1413), das grandes cidades (58 a 19) e das capitais (20 a seis). O frenesi com a proeza de Serra-Kassab em São Paulo (resultado que demanda análise específica) apenas revela o desconserto dessa gente com tal sucessão de derrotas, nunca vista na história deste país, e o temor de mais uma em 2010.


Portal Vermelho

28 de out de 2008

LATINHA LÉLIS - AGRADECIMENTO AOS ELEITORES

Queridos eleitores e amigos
Acabamos de eleger os vereadores que irão representar os cidadãos de Guanambi nos próximos quatro anos. Foi um pleito que envolveu grande disputa, com 56 candidatos, e que resultou numa grande renovação na Câmara Municipal. Paulo Costa(PCdoB) obteve uma importante vitória política com 39% dos votos para Prefeito.
Na condição de vereador eleito quero expressar a minha alegria ante o reconhecimento do nosso trabalho e AGRADECER a todos os que contribuíram para essa vitória.
Saímos deste processo mais fortes e renovando o compromisso de continuarmos a luta em defesa de uma Guanambi mais humana e democrática, contruíndo ações e projetos voltados para a geração de emprego e renda, saúde pública humanizada, educação de qualidade, meio ambiente, cultura, esporte e lazer. Tenham certeza que honraremos os 1.078 votos recebidos lutando por uma Guanambi melhor para todos.
Um forte abraço
José Carlos Lélis Costa
LATINHA

COMENTÁRIO DO JORNAL A TARDE

O Jornal A TARDE de hoje(28), na coluna "Tempo Presente - Levi Vasconcelos" fez o seguinte comentário político: " Da série "eu perdi, mas ganhei": Paulo Costa (PCdoB), de Guanambi, obteve 14.973 votos (38%) contra 23.956 (61%) do prefeito e ex-governador Nilo Coelho e se acha vitorioso: "Diziam que eu ia ser esmagado. Está aí".

13 de out de 2008

ELEIÇÕES 2008 - GUANAMBI

Paulo Costa sai fortalecido na disputa contra Nilo Coelho.

Candidato a prefeito da coligação “Guanambi de Todos Nós”, que reuniu um amplo leque de forças políticas contra o PP e DEM, Paulo Costa (PCdoB) avalia como positiva a participação no pleito e o percentual de votos recebidos na disputa contra o ex-governador da Bahia, Nilo Coelho (PP). “Uma campanha na condição em que disputamos, extremamente desigual e sem recursos, frente a um adversário que detém uma das maiores riqueza do estado e ainda conta com toda a máquina pública a seu dispor, pode sim ser considerada uma grande vitória”, afirmou.
Costa obteve quase 15 mil votos e beirou a casa dos 40% de votos válidos. o candidato do PP, Nilo Coelho, venceu a eleição com uma diferença de pouco mais de 23%. “Não digo que foi um resultado acima da expectativa, porque realmente disputamos a eleição para ganhar”, destacou. “Estávamos sintonizados com a expectativa de mudança da população e a nossa campanha cresceu muito. Mas houve uma intensificação de obras eleitoreiras de última hora em todos os lugares que, de fato, causou impacto e impulsionou uma deformação do resultado”, acredita.

Mesmo com a derrota, a oposição cresceu no município que, há mais de 20 anos, é administrado por legendas herdeiras das antigas oligarquias do algodão. O cenário político após o pleito de domingo mostra a polarização em dois campos distintos. “A nossa idéia agora é consolidar as bases aliadas e nos preparamos para embates futuros, cada vez mais fortalecidos”, declarou Costa. “E agradeço aos eleitores que confiaram no nosso projeto”, finalizou.

De Salvador,
Camila Jasmin

Fonte: Portal Vermelho