23 de set. de 2022

BAHIA ECONÔMICA: INDÚSTRIA VENDE 1 MI DE CRÉDITOS DE CARBONO GERADOS EM USINAS INSTALADAS NA BA

 

INDÚSTRIA VENDE 1 MI DE CRÉDITOS DE CARBONO GERADOS EM USINAS INSTALADAS NA BA

A transação foi intermediada por uma consultoria externa que aprovou o projeto no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo da Organização das Nações Unidas (ONU) e conduziu as etapas de monitoramento e emissão dos créditos. 

“Empresas que não adotam soluções para diminuir as emissões de dióxido de carbono podem compensá-las por meio da compra de créditos de carbono de projetos que atuam na mitigação de emissões dos gases causadores do efeito estufa”, afirma Ricardo Daelli, Head de Originação da Statkraft Brasil. 

Para este acordo com a empresa indiana, os créditos de carbono foram gerados a partir das usinas eólicas Seabra, Macaúbas e Novo Horizonte, todas instaladas na Bahia. “O volume negociado representa o equivalente à emissão de 452 mil veículos percorrendo 50 quilômetros por dia durante um ano”, declara Daelli.

“Apesar da contenção do aquecimento global depender principalmente de ações do poder público, do apoio das empresas e das organizações privadas, além da sociedade civil, temos razões para acreditar que é possível retardar os efeitos da crise climática e, até porque não, remediá-los. Atualmente, mais de 80% da energia gerada no Brasil vem de fontes renováveis”, comenta Daelli.  

Focada na geração de energia pura, a Statkraft acredita que seja imprescindível viabilizar programas para que contribuam para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), propostos pela ONU, especialmente os ODS 7 Energia Limpa e Acessível; ODS 11 Cidades e Comunidades Sustentáveis; ODS 13 Ação contra a Mudança Global do Clima; e ODS 15 Vida Terrestre.

Pioneirismo 

Além dos créditos de carbono, novas soluções como a modalidade I-REC de Certificado de Energia Renovável se destacam no panorama mundial devido à crescente ascensão da energia renovável na matriz elétrica. A comercialização de energia elétrica deixa de ter um viés direcionado ao menor preço para se tornar um produto com mais valor agregado, de acordo com as diretrizes de sustentabilidade das entidades corporativas. 

A Statkraft foi a primeira geradora no Brasil a oferecer energia renovável, sustentável e rastreável com garantia de origem pelo I-REC, com respeito às regras e procedimentos da Norma Internacional REC (Renewable Energy Certificate) e uma das pioneiras ao destinar parte da receita líquida obtida com a venda dos I-RECs e Créditos de Carbono para projetos socioambientais que contribuem para a redução de emissão de gases do efeito estufa, ampliando sua atuação no combate às mudanças climáticas. 

O I-REC é um sistema global de rastreamento de atributos ambientais de energia, compatível com as diretrizes de emissões do Escopo 2 (emissões indiretas pelo consumo de energia) do Programa Brasileiro GHG Protocol. Nesse sistema, cada certificado comprova que 1 MWh foi gerado e usado na rede elétrica a partir de um recurso renovável.

A Statkraft oferece uma linha de contratos para comercialização de certificados de energia renovável permitindo que empresas de todo o mundo, que ainda não adotam soluções de mitigação da emissão ou não atingem suas metas, possam compensar a produção de dióxido de carbono equivalente, estimulando o desenvolvimento sustentável. “A crescente demanda por energia renovável, por meio do compromisso mundial da descarbonização da matriz energética, está alinhada com o propósito da Statkraft Brasil em prover energia pura. Nos últimos anos, mais de 300 clientes foram atendidos, com diversas unidades consumidoras distribuídas pelo Brasil e em outros países, por nossos produtos internacionais, como I-RECs e créditos de carbono”, destaca Daelli.

A Statkraft Brasil já comercializou mais de 1,5 milhão de créditos de carbono e 150 mil I-RECs.

Projetos

Uma iniciativa de destaque e inovadora foi a decisão estratégica da companhia de investir 10% da receita líquida da venda dos I-RECs e créditos de carbono para projetos socioambientais que fortaleçam os ODS 7, 11, 13 e 15. 

Com esses recursos, está sendo implementado um projeto em parceria com o Engenheiros Sem Fronteiras dos núcleos de Aracaju e Rio de Janeiro para a instalação de placas solares e sistema de captação de água da chuva em um abrigo que atende crianças em situação de vulnerabilidade na região metropolitana de Aracaju, em  Sergipe. Mais de 80 pessoas beneficiadas diretamente, representando uma economia de 83% na conta de energia e 16% na conta de água. 

“É uma iniciativa que cria um ciclo virtuoso onde todos somos beneficiados a partir da geração de valor compartilhado: empresa, sociedade e meio ambiente”, destaca Ana Lima, diretora de ESG e Comunicação da Statkraft Brasil.

Nenhum comentário: