Com presença de Rui e Wagner, abertura de Congresso do PT da Bahia prega unidade


A unidade e o fortalecimento do partido para fazer frente à onda conservadora e obscurantista, na defesa da democracia e soberania do País e por Lula livre. Este foi o desiderato presente na maioria das falas do ato de abertura da etapa estadual do 7º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores, neste sábado (19), na Faculdade de Arquitetura da Ufba, em Salvador. O evento reuniu militância, bancadas de deputados estaduais e federais do PT, sindicalistas, dirigentes de partidos e representantes de movimentos sociais.
O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, descreveu que o sentimento de perseguição alcança não só Lula, mas o partido, suas lideranças e militância. “Nossa caminhada será cada vez mais fácil se a gente cultivar, em cada um de nós, o espírito da unidade, da solidariedade e do companheirismo. Temos força para divergir, mas também de construir consenso com o olhar no futuro” defendeu. Ele fez um discurso também de despedida, agradecendo o apoio de toda equipe que integrou o segundo mandato à frente do partido.
Para Everaldo, sua passagem pela presidência foi marcada, sobretudo, pelas duas vitórias do governador Rui Costa, além da eleição das maiores bancadas de deputados estaduais e federais do partido. Nesse contexto, também citou a “cumplicidade dos partidos da base aliada”, dirigindo-se aos presidentes do PP, vice-governador João Leão, do PSB, deputada Lídice da Mata, e do PC do B, Davidson Magalhães, que estavam na mesa.
O governador Rui Costa e o senador Jaques Wagner exaltaram, como fundadores do PT na Bahia, a pluralidade de ideias como marca do partido, mas destacaram também a maturidade de sua militância para compreender o momento de convergência, quando a luta externa é maior que as disputas internas.
“A riqueza do PT é nossa diversidade. Não somos o partido do pensamento único, pois só assim se constrói um verdadeiro partido de massas. Mas nossa diversidade deve se submeter à unidade daquilo que é o desafio maior. É bom que a gente entenda que as nossas diferenças de pensamento são valiosas, mas são muito menores do que o desafio que o PT da Bahia tem pra tocar daqui pra frente”, disse Wagner.
Rui Costa lembrou que, em janeiro do ano que vem, a Bahia completa 13 anos sendo governada pelo PT, sendo “a maior e mais longa experiência que o PT tem, no Brasil, em governar um estado”. O governador escolheu citar depoimentos de pessoas comuns beneficiadas por programas e ações do governo do Estado, com quem esteve pelas agendas no interior, para reforçar que “a unidade do Partido dos Trabalhadores está na construção do projeto coletivo que chega ao povo brasileiro, ao povo baiano”.
O congresso acontece até esse domingo (20), quando terá a eleição para novo presidente estadual do PT. A votação ocorre às 13h, e seu resultado será exarado às 17h. Em setembro, aconteceu a eleição dos diretórios municipais e dos delegados que votam no Congresso. Segundo o presidente, o PED na Bahia mobilizou mais de 30 mil filiados em 339 municípios. O 7º Congresso Nacional do PT será na capital paulista, dias 22, 23 e 24 de novembro.

Share:

Nenhum comentário:

Acesse e Leia!

Seguidores

Mais Vistos da Semana

Arquivo do blog

Arquivo do blog