31 de jul de 2017

UMA VIAGEM NO TEMPO E NA HISTÓRIA DE CARINHANHA




FOTOS DO ACERVO HISTÓRICO DO MEMORIAL CASA DA CARETA EM CARINHANHA.



FOTO DO ACERVO DO MEMORIAL CASA DA CARETA.
 PEDRO MORAIS, DONA TUDINHA MORAIS, DR. SANDOVAL MORAIS, DONA AMÉLIA MORAIS E PEDRO MORAIS FILHO NO RIO SÃO FRANCSICO EM 1951.

No dia 27 de Julho de 2017, acompanhado de minha prima Claudete Lélis e Roberto Fernandes, fizemos uma viagem histórica à cidade de Carinhanha com o objetivo inicial de continuar o trabalho de resgata da memória da família de Belizária Leão Lélis (Vó Beli) e identificar o túmulo de Adalgísio de Castro Lélis.



Em 1934, Adalgísio de Castro Lélis adoeceu e foi levado de cadeira de balanço do Iuiú até Carinhanha a pé para fazer tratamento médico. No dia 30 de março de 1934 ele faleceu com 48 anos de idade, sendo enterrado no cemitério de Carinhanha. Adalgísio de Castro Lélis era natural de Palmas de Monte Alto, comerciante e funcionário público tendo sido nomeado para o cargo de Official de Registro Geral de Hypthecas, Títulos e Documento da Comarca de Monte Alto, em 05 de setembro de 1916, conforme documentos históricos abaixo.

Nossos avós moraram em várias cidades da região (Monte Alto, Lagoa da Espera, Gameleira – Pindaí, Mucambo – Distrito de Guanambi e hoje Candiba, Iuiú e Guanambi. Em Guanambi moraram na Praça Getúlio Vargas (1910) e na rua da antiga cadeira pública, que ficava localizada próxima a atual casa paroquial.




A explicação de Vó Beli para tantas mudanças era fruto do período de violência que predominava naquela época com os movimentos dos revoltosos (Coluna Prestes) e o cangaço (Lampião) nas proximidades de nossa região.

Também aproveitamos a ida até a cidade de Carinhanha para conhecer a história da família  Lélis visando dados para a construção da árvore genealógica dessa imensa família que está espalhada por toda região.
   
Uma aula de história, cultura e meio ambiental




Ao chegar em Carinhanha, visitamos a Casa da Careta – Memorial Público de Carinhanha, que tem um excelente acervo de memória da história política, econômica, cultural e social da cidade com exposições de fotos, documentos, obras dos artistas plásticos e escultores Jota Vieira e Moacyr Lélis, bem como de uma biblioteca que tem um acervo de publicações de autores locais sobre a história da cidade e do Velho Chico. Segundo o Senhor Honorato Ribeiro dos Santos, o prefácio do livro CARINHANHA, DE ONTEM E DE HOJE: “Grandes artistas escondidos da mídia e das revistas famosas”.



OBRAS DOS ESCULTORES JOTA VIEIRA E MOACYR LÉLIS
EXPOSTAS NA CASA DA CARETA EM CARINHANHA.

HONORATO RIBEIRO DOS SANTOS.
Logo após, conhecemos uma personagem ilustre da cidade de Carinhanha – o Senhor HONORATO RIBEIRO DOS SANTOS, que é autor de 36 obras literárias e de vários livros sobre o resgate da história de Carinhanha. Vamos dedicar uma matéria especial sobre a biografia do Senhor Honorato - Uma aula sobre o passado, a cultura folclórica, as crenças e costumes de Carinhanha.

Também fizemos uma visita ao renomado artista plástico e escultor MOACYR LÉLIS que faz carrancas do Rio São Francisco e esculturas diversas.





A surpresa fica por conta da descoberta de excelentes artistas plásticos e escultores de Carinhanha – as obras de JOTA VIEIRA e MOACYR LÉLIS merecem e, é um compromisso da TV LATINHA, de realizar no final do ano uma Exposição em Guanambi.


Mais uma visita, ao ilustre maestro da filarmônica EDÉSIO MARQUES, que tem mais de 50 anos de dedicação e amor a tradicional FILARMÔNICA DE CARINHANHA. Edésio é ourives de profissão e tem uma dedicação a música e a história cultural da cidade.

Fotografamos diversos casarões, a igreja, o Velho Chico e o famoso PAU DO FUXICO em Carinhanha. Conhecemos um pouco da história da cidade conversando com personagens históricas e o prazer de conhecer o Senhor Zé do Padre e uma visita a sua filha Alda. 
 


Recebemos uma recepção especial da família de Claudete Lélis, onde fomos tratados no estilo hospitaleiro do povo Sanfranciscano com direito a comida caseira, doce de leite e um delicioso sorvete de açaí. Conhecemos o artista e cantor JOÃO LÉLIS, na qual recebemos o CD - Universos da famosa cantora JOSY LÉLIS.



Segundo depoimentos de familiares de Claudete Lélis, conhecemos um pouco mais da história de MÁRIO LEÃO, irmão de minha Vó Beli. Segundo Djanira Leão, ele foi nomeado GUARDA-FIOS do antigo correio de Palmas de Monte Alto e exercia a inspeção das linhas de transmissão dos correios e telégrafos na região. Sempre fazia a vistoria na cidade de Carinhanha, conforme nomeação abaixo.
 

Antes de viajar até Carinhanha, fiz uma leitura dinâmica dos livros: O RIO SÃO FRANCISCO E A CHAPA DIAMANTINA – TEODORO SAMPAIO; URBANIZAÇÃO E METROPOLIZAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA EVOLUÇÃO E DINÂMICA – UFBA; ATLAS HISTÓRICO 500 ANOS BRASIL – ISTO É; HISTÓRIA DA BAHIA – LUÍS HENRIQUE DIAS TAVARES; O MÉDIO SÃO FRANCISCO – WILSON LINS.


Hoje (28), ao concluir o artigo em homenagem a essa viagem de história, cultura e memória de Carinhanha, alimento e renovo o compromisso do BLOG DO LATINHA E DA TV LATINHA com o resgate e a defesa da cultura do sertão, saboreando as páginas dos livros de Senhor Honorato Ribeiro dos Santos – HISTÓRIA DE CARINHANHA E CARINHANHA DE ONTEM E DE HOJE