16 de nov de 2016

SEMINÁRIO NACIONAL DISCUTE DESENVOLVIMENTO DA BAHIA E DO NORDESTE

BAHIA ECONÔMICA

 
O desenvolvimento da Bahia e da Região Nordeste, tendo como foco os Arranjos Produtivos Locais (APLs), vai ser discutido durante dois dias em Salvador no seminário 'Estratégia de Arranjos produtivos para o Desenvolvimento Territorial da Bahia e do Nordeste'. O evento acontece nestas quarta e quinta-feira (16 e 17), das 9 às 18h, na sede da Federação do Comércio do Estado da Bahia (Fecomércio), na Avenida Tancredo Neves, em Salvador.
 
Além da participação de diversas secretarias e órgãos do estado, o seminário terá a presença de representantes das universidades Federal Sul da Bahia, Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Federal da Paraíba (UFPB), Federal do Pará (Ufpa) e PUC (Goiás), além da Universidade Dom Bosco (MS). Segundo o superintendente de Estudos e Políticas Públicas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE), Reinaldo Sampaio, o evento vai reunir articuladamente atores institucionais para debater e apresentar à sociedade estratégias de desenvolvimento do Nordeste e da Bahia, em um período de aprofundamento da crise global e sua repercussões no País.
 
“Vamos debater também a redefinição dos espaços e discussão de implicações de políticas e novas formas de estimular o desenvolvimento territorial da Bahia e do Nordeste”, enfatiza Reinaldo, destacando ainda a importância da troca de ideias e experiências na busca de soluções para resolver entraves que dificultam a implantação e desenvolvimento dos APLs nestas regiões. “O seminário vai ser uma ótima oportunidade para isso”. O evento integra o conjunto de estratégias do Núcleo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais da Bahia, que é coordenado pela SDE.
 
Arranjos Produtivos Locais (APLs) são aglomerações de empresas, localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais, tais como: governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa.