23 de nov de 2016

PARENTES DE GEDDEL SÃO PROCURADORES JUNTO AO IPHAN NO CASO LA VUE

23/11 - 08h01m
BAHIA ECONÔMICA
 


Um primo e um sobrinho Geddel Vieira Lima foram representantes do ministro junto ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) na disputa pelo gabarito do prédio. Segundo a Folha de São Paulo,  a Porto Ladeira da Barra Empreendimento, empresa responsável pelo La Vue, nomeou como procuradores os advogados Igor Andrade Costa, Jayme Vieira Lima Filho e o estagiário Afrísio Vieira Lima Neto, em um documento anexado no processo administrativo que tramitou junto ao Iphan

Jayme é primo de Geddel e sócio dele no restaurante Al Mare, em Salvador. Afrísio é filho do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel. A procuração foi assinada em 17 de maio de 2016, cinco dias depois de Geddel tomar posse como ministro. Ela não tem prazo de validade.

Semanas antes, ainda na gestão Dilma Rousseff (PT), o Iphan havia embargado a obra por considera que o prédio afetaria monumentos tombados da região como o Forte de São Diogo e a Igreja de Santo Antônio da Barra.

O documento possibilita aos advogados e ao estagiário "representar o outorgante [empreendimento La Vue], conjunta ou separadamente, perante o Iphan", dando poderes para "interpor recursos perante qualquer juízo, instância ou tribunal".

O outro signatário da procuração, o advogado Igor Andrade Costa, é sócio de Jayme num escritório de advocacia. Além de Geddel, outros parentes do ministro adquiriram apartamentos no La Vue. A empresa Upside Empreendimentos consta como proprietária do apartamento 1101. Entre os sócios da empresa está Fernanda Vieira Lima Paolilo, prima de Geddel. O La Vue foi autorizado em 2014 depois de um parecer do então coordenador-técnico do Iphan na Bahia, Bruno Tavares.