7 de out de 2016

Bancos privados, BNB e BB retomam atividades; bancários da Caixa mantêm greve na Bahia

Quinta, 06 de Outubro de 2016 - 21:09

BAHIA NOTÍCIAS

por Guilherme Ferreira
Bancos privados, BNB e BB retomam atividades; bancários da Caixa mantêm greve na Bahia
Foto: Reprodução / Twitter

Parte dos bancários encerrou a greve da categoria na Bahia após votação realizada em assembleia na noite desta quinta-feira (6). Os trabalhadores dos bancos privados e do Banco do Nordeste aceitaram a proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e as agências devem voltar a funcionar nesta sexta (7). Já os da Caixa optaram por manter a paralização. Os funcionários de cada instituição financeira votaram em separado pela manutenção ou não do movimento grevista.  "Consideramos que a proposta da Fenaban é insuficiente, porque não contempla a reposição da inflação nos últimos 12 meses. Mas as condições para a permanência da greve eram ruins. Na Caixa, a maioria dos trabalhadores optou por permanecer no sentido de buscar melhorias na proposta apresentada", avaliou o presidente do sindicato dos bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos. Os bancos se comprometeram a dar 8% de reajuste salarial e abono de R$ 3.500. A oferta inclui ainda aumento de 10% no vale refeição e no auxílio-creche-babá e de 15% no vale alimentação, além de aumento real de 1% em todos os salários e demais verbas. A princípio, os bancários pediam aumento de 14,78% de reajuste salarial. A última proposta foi feita pela Fenaban em reunião realizada na noite de quarta-feira (5). A paralisação já durava 31 dias e afetava o serviço em todos os estados do país. A decisão na Bahia segue uma tendência nacional. Bancários de pelo menos mais 20 estados e do Distrito Federal também decidiram encerrar a paralisação em assembleias regionais que aconteceram na noite de hoje. Assim como na Bahia, os funcionários da Caixa escolheram continuar com a greve em algumas regiões do Brasil. Segundo estimativas do sindicato da categoria, 952 agências estavam com as atividades paradas na Bahia e cerca de 13 mil em todo país.(Atualizada às 21h53)