25 de out de 2016

BAHIA DEFINIRÁ SEU PRÓPRIO MODELO DE ENSINO MÉDIO

BAHIA ECONÔMICA


 
Com o objetivo de discutir as implicações da reforma do Ensino Médio para a rede estadual da Bahia, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia promoveu, nesta segunda-feira (24), no auditório da Fundação Luís Eduardo Magalhães, em Salvador, o primeiro de uma série de debates sobre a temática. A Bahia será responsável por definir como será o novo modelo do Ensino Médio oferecido no estado – assim como cada uma das unidades da federação.
 
 
Na ocasião, o superintendente de Políticas para a Educação Básica da Secretaria da Educação do Estado, Ney Campelo, ressaltou a necessidade de mudanças no Ensino Médio e que já estavam sendo debatidas no âmbito da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Precisamos ter a capacidade de mostrar as nossas preocupações, levando em conta a necessidade de que se abra um debate democrático, dentro de uma estratégia em que as nossas 1.320 escolas tenham acesso à essa discussão”, afirmou.
 
 
O secretário da Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Rossieli da Silva, sustentou que as discussões sobre a reforma já vêm de muito tempo. “Desde 1998, com a criação dos parâmetros curriculares, com a reforma do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), com o Plano Nacional que foi discutido durante sete anos, onde a primeira estratégia é a flexibilização do Ensino Médio e este projeto já vem tramitando há muitos anos na Câmara dos Deputados, longe de ser concluído e temos todos os indicadores para dar velocidade na reforma do Ensino Médio.”, afirma.
 
Além das presenças de Campelo e Rossieli, o debate contou com a participação de representantes do Conselho Estadual de Educação (CEE), APLB Sindicato, Associação Brasileira dos Estudantes Secundaristas (ABES) e Universidade Federal da Bahia (UFBA). A reforma do Ensino Médio foi publicada por meio de Medida Provisória (MP 746/2016), do Governo Federal. (BE e Correio)