14 de out de 2016

BAHIA APRESENTA ALTERNATIVAS PARA SER INCLUÍDA EM LEILÃO DE ENERGIA

BAHIA ECONÔMICA
 

 
O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse em Salvador, que a Bahia ainda tem chances de participar do próximo Leilão de Energia de Reserva (LER), previsto para dezembro. “Tudo vai depender agora das articulações entre o governo estadual e o Ministério de Minas e Energia”, afirmou o gestor, ao presidir, na capital baiana, a sexta reunião técnica do ONS, em série que vem sendo realizada nos estados.
 
Tanto a Bahia, que já contava com 341 projetos inscritos, quanto os estados do Rio Grande do Norte e do Sul ficaram impedidos de participar do certame, por conta do estrangulamento da oferta de linhas de transmissão. O problema agravou-se após o pedido de recuperação judicial da Abengoa, empresa espanhola que venceu a licitação federal para a implantação das linhas. No governo baiano, há esperança de que o Ministério de Minas e Energia avalie nos próximos 15 dias as alternativas apresentadas para que a Bahia possa participar do LER, mesmo que o leilão seja mantido para dezembro. Uma das medidas seria considerar a entrada em operação, em 2018, da subestação de Gilbués II, no Piauí. Trata-se de uma rede de transmissão com 1.816 km e potência de 500 kV, que corta os estados do Tocantins, Piauí e Bahia. 
 
A aprovação das obras da subestação foi definida após a divulgação da nota técnica do ONS sobre o estrangulamento das linhas na Bahia e consequente exclusão do estado do leilão.Na nota, “o operador não considerou trechos importantes de linhas de transmissão já leiloadas e com previsão de conclusão e operação comercial para os anos de 2018 e 2019”, como destaca o ofício enviado pelo governo baiano ao MME, citando, além de Gilbués II, linhas na Bahia previstas para 2019 (Ourolândia/Juazeiro, Gentio do Ouro/Bom Jesus da Lapa e Ibicoara/Poções)(A Tarde)