13 de ago de 2016

Rui recebe relatório final da Comissão Estadual da Verdade

BAHIA NOTÍCIAS



Rui recebe relatório final da Comissão Estadual da Verdade
Foto: Carla Ornelas / GOVBA

Composto por três volumes e mais de duas mil páginas, o relatório final da Comissão Estadual da Verdade (CEV) foi entregue ao governador Rui Costa na tarde desta sexta-feira (12), Dia Nacional dos Direitos Humanos. A entrega ocorreu no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. O documento apresenta à sociedade as práticas do regime que oprimiu a cidadania e violou direitos humanos no país no período de 1964 a 1985.  No evento, o governador prestou uma homenagem aos membros da comissão. “[Este trabalho] deixa para esta e para as próximas gerações um novo olhar sobre a história do Brasil. Qualquer período de ódio, perseguição e morte não deve se repetir. Nós devemos lutar pela liberdade de imprensa e de expressão. Que a gente possa valorizar a vida e o ser humano acima de tudo”, disse Rui. O relatório também apresenta recomendações para o aprimoramento das instituições do Estado, de modo a construir uma política definitiva de democracia e de respeito à dignidade da vida. De acordo com o coordenador da comissão, Joviniano Neto, o relatório deixa um legado para o fortalecimento da democracia.  “Esse trabalho coloca a história da Bahia e o que aconteceu com os baianos durante a ditadura em um novo patamar. Levantamos documentos importantíssimos, que compram fatos fundamentais para a história. Conseguimos comprovar, por exemplo, com dossiê, documentos, fotografias e levantamento cadavérico, que o educador Anísio Teixeira não morreu por acidente. Ele foi assassinado”, afirmou Jovianiano. A comissão foi instituída na Bahia em 2012 para auxiliar a Comissão Nacional da Verdade a examinar e esclarecer as graves violações de direitos humanos praticadas na ditadura militar. A função prioritária da comissão foi ouvir vítimas e familiares para compreender o padrão das violações cometidas, além de conhecer a versão dos autores dos crimes e buscar informações em arquivos até então desconhecidos.