3 de mai de 2016

Paralisação das obras da Fiol gera prejuízos na região de Brumado

BRUMADO NOTÍCIAS
03 Mai 2016 - 10h00


Paralisação das obras da Fiol gera prejuízos na região de Brumado
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

Centenas de operários brumadenses ficaram desempregados com a paralisação das obras da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol). Antes da paralisação, cerca de 1500 pessoas trabalhavam no trecho do município, aquecendo a economia local. Porém, com a interrupção dos trabalhos, o município vem sofrendo com a desaceleração da economia e com o grande índice de desemprego. Este último fator tem obrigado centenas de operários com mão de obra qualificada a migrarem para outros estados em busca de fonte de renda. Outro prejuízo é com relação à deterioração dos equipamentos e veículos abandonados no canteiro administrativo e na sede do município. 
Paralisação das obras da Fiol gera prejuízos na região de Brumado
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias
No último final de semana, o site Brumado Notícias esteve no canteiro de obras do Lote IV, no distrito de Ubiraçaba, e registrou a grande quantidade de dormentes produzidos ainda armazenados no local. Também foi registrada uma grande quantidade de trilhos vindos da China para serem instalados no percurso da linha, que promete ligar a economia entre os extremos oeste e leste do estado. Nossa reportagem também registrou maquinários importados abandonados, de alto custo e muito eficientes para instalação dos dormentes e trilhos. No local, que teve uma grande extensão de linha férrea instalada, ainda se encontra a locomotiva da Andrade Gutierrez utilizada para puxar os vagões espalhadores de brita. 

Paralisação das obras da Fiol gera prejuízos na região de Brumado
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias
Aparelhos de ar-condicionado ainda estão instalados nas salas administrativas. Já a área utilizada para preparar as ferragens foi desativada e atualmente é utilizada para plantio. A crise política e econômica, bem como as investigações de corrupção envolvendo algumas das empreiteiras que tocavam a obra, emperra o retorno das atividades. Mesmo assim, os operários brumadenses mantém acessa a esperança de que o empreendimento não ficará esquecido no tempo e que suas obras serão retomadas. “Posso até não alcançar a conclusão dessa ferrovia, mas tenho certeza de que meus filhos e meus netos estarão aqui para atestar a grandeza desse empreendimento que trará um grande progresso para a nossa região e para o nosso estado”, comentou o líder comunitário do distrito, Gilberto Sobrinho.