20 de abr de 2016

Dilma vai à ONU denunciar golpe dos sem voto e preocupa Temer


A presidenta Dilma Rousseff decidiu participar da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris sobre a Mudança do Clima, na Organização das Nações Unidas (ONU), que ocorrerá nesta sexta-feira (22) em Nova York. A viagem já causa preocupação entre os conspiradores golpistas comandados pelo vice-presidente Michel Temer (PMDB), pois ela denunciará o golpe em curso contra seu mandato legítimo.


Roberto Suckert Filho/PR
Dilma deve ir a Nova York nesta quinta (21) para participar da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris sobre Mudança do Clima, na ONUDilma deve ir a Nova York nesta quinta (21) para participar da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris sobre Mudança do Clima, na ONU
Enquanto a grande imprensa brasileira tenta dar um verniz legalista ao golpe cometido pela Câmara dos Deputados, que aprovou o pedido de abertura do processo de impeachment contra Dilma sem fundamento jurídico, a imprensa internacional tem apontado que o pedido de afastamento é exclusivamente político e resultado da polarização.

Em entrevista coletiva para correspondentes internacionais de 56 países, nesta terça-feira (19), Dilma reiterou que Temer não tem legitimidade para assumir o país e que o processo de impeachment é uma farsa.

“É estarrecedor que um vice-presidente, no exercício do mandato, conspire contra a presidenta abertamente. Em nenhuma democracia do mundo, uma pessoa que fizesse isso seria respeitada”, afirmou Dilma.

E acrescentou: “É o golpe em que se usa de uma aparência de processo legal e democrático para perpetrar um crime que é a injustiça. Praticam comigo o jogo do ‘quanto pior, melhor’. Pior para o Brasil, melhor para a oposição. E praticam isso por meio de pautas-bomba. Também me sinto injustiçada por não me permitirem que governasse num clima de estabilidade política. Saio dessa questão dos atos com a consciência tranquila porque pratiquei atos que são praticados por todos os presidentes da República”.

Publicações como o Der Spiegel (Alemanha), The Economist (Inglaterra), El País(Espanha), Público (Portugal), The Guardian (Inglaterra), Página 12 (Argentina) e até mesmo a rede de televisão Al-Jazeera, entre outras, denunciam a ameaça contra a democracia brasileira.

Sob o título “A crise institucional no Brasil: Um golpe frio”, o jornal alemão Der Spiegel disse que a Rede Globo atua em defesa do golpe. “Parte da oposição e da Justiça agem, juntamente com a maior empresa de telecomunicações TV Globo, para estimular uma verdadeira caça às bruxas que tem como alvo o ex-presidente Lula”, disse o jornal.

Ambulante a Temer: Golpista!

A declaração da presidenta ganha força junto à população que não apoia o golpe. Nesta terça, um ambulante que estava em frente ao seu escritório em São Paulo, o chamou de “traidor” e “golpista.

Temer está em São Paulo onde se reúne com a cúpula da legenda. A reunião tenta buscar uma saída para dar uma fachada legal ao “gabinete dos sem voto”. Segundo fontes da grande imprensa, aliados de Temer preparam, com a ajuda do jornalista Thomas Traumann e do embaixador e ex-ministro de Fernando Henrique Cardoso, Sérgio Amaral, um discurso para camuflar o golpe.

Temer cogita dar entrevistas a correspondentes estrangeiros, além de escalar FHC para defender o seu golpe. Dizem as más línguas, que ele também já gravou um áudio com tradução simultânea para vazar à imprensa internacional.
 

Do Portal Vermelho, Dayane Santos