Jorge Solla e Fábio Vilas-Boas.
Jorge Solla e Fábio Vilas-Boas.

O deputado federal Jorge Solla (PT) dirigiu a Secretaria de Saúde do Estado na gestão do ex-governador Jaques Wagner. Seu sucessor, Fábio Vilas-Boas, assumiu a pasta no início do governo Rui Costa. O parlamentar nunca fez questão de esconder suas divergências em relação ao substituto e decidiu subir o tom das críticas.

No último dia 12, Vilas-Boas inaugurou um setor do Hospital de Base de Vitória da Conquista. Na ocasião, segundo o blog do Anderson, o secretário disse que só permaneceria na unidade o profissional que “desse resultado”. “Então corra atrás do seu resultado, pois ninguém tem padrinho, ninguém tem costa quente”. O recado pode ter sido uma indireta para Marilene Ferraz (Leninha), diretora da unidade.

Solla reagiu no dia seguinte ao comentário de Vilas-Boas e escreveu ao governador Rui Costa: “Caro Governador, vou direto ao assunto: temos tolerado toda a arrogância, prepotência e incompetência do preposto que o senhor colocou na Sesab para não prejudicar o projeto de nosso partido especialmente num momento tão delicado como este que estamos atravessando, mas não vai passar em branco a humilhação que este sujeito fez com Leninha e toda a equipe do Hospital Geral de Vitória da Conquista. Quem é ele para fazer isto com uma pessoa que tem a trajetória que ela tem???”.

Depois, em entrevista ao radialista Joselito Fróes (Rádio Recôncavo), Jorge Solla declarou que 2015 foi “um ano de evidentes e sucessivos desastres, ele [Vilas-Boas] está promovendo um desmonte da saúde pública da Bahia”.

De acordo com o deputado, o secretário de saúde é arrogante, prepotente e incompetente. “Ele quer emparedar os diretores dos hospitais, atribuir a responsabilidade aos diretores dos hospitais, humilhar os diretores dos hospitais junto à opinião pública para justificar a dificuldade da sua gestão. […] Esse ano só liberaram metade dos recursos. A Secretaria de Saúde do Estado demitiu mais de mil profissionais de enfermagem, técnicos e enfermeiros de nível superior que eram contratados pela Fundação Estatal Saúde da Família para os hospitais da rede própria, impactou negativamente em todos os hospitais, inclusive no Hospital de Base de Vitória da Conquista”.

Com informações do Blog Resenha Geral.