O Tribunal de Contas da União esclareceu que não tem competência legal para intervir sobre o traçado da Ferrovia de Integração Oeste-Leste.

Ontem (28), em reunião com uma comitiva liderada pelo governador Rui Costa (PT), o relator do projeto na corte, ministro Augusto Sherman, declarou que “não cabe ao TCU questionar o traçado da FIOL. Na verdade, o parecer do tribunal recomenda a reavaliação da viabilidade econômica da construção do trecho entre Barreiras e Caetité.

A manifestação do órgão gerou uma interpretação equivocada segundo a qual essa parte da obra havia sido descartada. Além do governador, o deputado federal Bebeto Galvão (PSB-BA) se posicionou em defesa da manutenção do traçado original da ferrovia. Assista: