10 de set. de 2022

No Rio, evangélicos abraçam Lula e pedem volta do ex-presidente

 








Em encontro emocionante com evangélicos no fim da manhã desta sexta-feira (09/09), em São Gonçalo (RJ), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o apoio de pastores e de fieis de diferentes gerações.

Em reconhecimento às transformações ocorridas os primeiros governos do PT, os religiosos pediram o retorno de Lula para que o Brasil volte a ter políticas inclusivas que garantam vida mais digna aos mais pobres.

Um dos primeiros a falar, o pastor Sérgio Duzilek disse que o melhor tempo que a igreja brasileira viveu foi durante os governos Lula. Segundo ele, os pastores estavam bem, as igrejas podiam pregar o evangelho livremente e o governo promoveu justiça social. “O povo que pastoreamos era feliz. Tinha sua laje e churrasquinho pra fazer em sua laje. Hoje vivem debaixo de outras lajes”, afirmou.

De acordo com o pastor, o povo não aguenta mais viver na mendicância que está vivendo hoje, nas mãos de um governo nefasto. “A mendicância agride o senhor Deus. O povo não aguenta mais quatro anos com esse Presidente da República que só faz enganar, ludibriar e governar só para a elite”, disse, reconhecendo que Lula foi vítima de injustiça do judiciário e de parcelas da igreja. “A igreja evangélica tem que pedir perdão ao senhor”.

Adversários de Deus estão no controle da nação”


O pastor Ariovaldo Ramos disse que adversários de Deus assumiram o controle da nação com mentiras e usando o nome de Jesus Cristo em vão. “Eles zombaram da cruz. Eles inventaram mentiras, eles disseram inverdades terríveis, mas isso vai ter fim no dia 2 de outubro. Isso vai ter fim. Isso vai acabar”, disse.

O pastor apontou outros retrocessos do atual governo, como deixar o povo, novamente, com fome, na miséria, com angústia e sem esperança, além de terem destruído o emprego, a educação e a soberania nacional.

LEIA MAIS: Lula combate mentiras ao lembrar ações de seu governo aos evangélicos

Pedindo a volta de Lula, Ariovaldo Ramos afirmou que nos governos do ex-presidente o Brasil foi feliz, pastores e religiões eram respeitados e ninguém usou o nome de Jesus para atacar ou discriminar alguém. PT NACIONAL

Nenhum comentário: