18 de mar. de 2022

Situação atual da pandemia é apresentada pela Secretária da Saúde na ALBA

 

“A Bahia contra a Covid. A situação atual da Pandemia de Covid-19 na Bahia” foi o tema da audiência pública realizada na manhã desta quarta-feira (16), na Comissão de Avaliação dos Impactos do Coronavírus da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), tendo como convida a secretária da Saúde do Estado, Adélia Pinheiro.

Durante a sessão, que teve como principal objetivo discutir a atual situação da pandemia no Estado, a secretária apresentou as diversas ações de saúde adotadas e aquelas que estão em continuidade, os recursos financeiros aportados, medidas no âmbito no âmbito federal, dados da vacinação, entre outras questões relacionadas à pandemia. A secretária Adélia Pinheiro lembrou a ocorrência dos primeiros casos de Coronavírus registrados no estado, há dois anos, quando ainda não havia vacina disponível. “Vivenciamos a primeira onda da pandemia nesse contexto, com grande número de casos e óbitos”, afirmou.

As características das segunda e terceira ondas da pandemia foram também apresentadas pela Secretária, que chamou atenção para o longo período de duração da segunda onda, as características da terceira onda, com os grupos mais vulneráveis já vacinados, e um decréscimo no número de casos. Outro aspecto destacado por Adélia Pinheiro foi a redução no ritmo de queda dos casos ativos a partir do último dia 11 desse mês, “o que possivelmente reflete o período festas de Carnaval, apesar da proibição da programação oficial, mas com o registro de diversos eventos privados”.

Nova Variante

O surgimento de uma nova variante, a Ômicron, durante a segunda onda da Covid-19, resultou em aumento no número de casos, e também um número significativo de óbitos. “Tínhamos parte da população com pelo menos a primeira dose da vacina aplicada, mas a população em geral ainda iniciando a vacinação”, pontuou a secretária. Acrescentando que o conjunto de conhecimentos e boa parte da população com idade acima de 12 anos com acesso às 1ª e 2ª doses da vacina e outra parte já com a 3ª dose, foi a grande responsável pela queda da mortalidade.

Outro dado apresentado foi o fato de a Bahia ter a segunda taxa de letalidade do país, resultado dos investimentos feitos pelo Governo do Estado na assistência aos pacientes e na ampliação do número de leitos destinados aos pacientes de Covid, além da disponibilidade da vacina e o bom manejo dos pacientes pelos profissionais de saúde.

Com mais 5,6 milhões de pessoas não vacinadas ou com o esquema de vacinação incompleto, a Secretária conta que alcançar esse público é “o grande desafio que temos”, e que o número de crianças internadas em unidades hospitalares na faixa etária até 11 anos ainda é grande, e vacinar esse público é responsabilidade dos pais, e também uma obrigação, prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente.

A vacinação completa e homogênea é condição imprescindível para se pensar em retirada das máscaras, disse a secretária da Saúde. No momento, os meios de prevenção do Coronavírus são o uso das máscaras e de álcool, a vacinação e o distanciamento social. Questionada sobre uma possível flexibilização nas medidas de contenção da Covid-19, a Secretária disse que ainda não há previsão para isso ocorra, e que “uma flexibilização precoce pode trazer o aumento no número de casos”.


Investimentos

Finalizando a apresentação, Adélia Pinheiro garantiu que o Governo do Estado soube eleger as prioridades para o enfrentamento da pandemia, e para isso já investiu mais de R$ 1 bilhão, sendo 1/3 desses recursos do Tesouro Estadual.

O deputado Ângelo Almeida, presidente da Comissão, afirmou que a apresentação da secretária da Saúde “um dos momentos mais brilhantes que tivemos nesta Casa”, enquanto o deputado Tiago Correia parabenizou a Secretária e sua equipe, “com destaque para os profissionais de saúde, assim como os cientistas, e também o engajamento das escolas de Medicina”.

Nenhum comentário: