22 de mar. de 2022

PCdoB CELEBRA CENTENÁRIO NA ASSEMBLEIA

 

           Evento se transformou em um ato de reverência à memória de grandes nomes do partido na Bahia.
                                                    Foto: CarlosAmilton/AgênciaALBA



A celebração dos 100 anos do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), na tarde desta segunda-feira (21) no Auditório Jornalista Jorge Calmon, na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), tornou-se um ato em reverência à memória de grandes nomes do partido na Bahia, reunindo autoridades, parlamentares, prefeitos, vereadores, militantes e lideranças de movimentos sociais. O evento na ALBA integra a programação do centenário, na capital baiana, que incluiu um festival com apresentações musicais e de poesia, além de lançamento de livros e de um filme documentário sobre a vida do ex-deputado comunista baiano Haroldo Lima.

Lima, ex-deputado federal e dirigente do PCdoB baiano que faleceu vítima da Covid-19 há um ano, foi uma das personalidades homenageadas nos discursos da tarde. Assim como ele, os presentes fizeram um tributo à advogada, professora da Ufba e dirigente Loreta Valadares, falecida em 2004 e que é uma referência na luta das mulheres e dos direitos humanos. Outro nome citado foi o do atual presidente de honra do partido, Péricles de Souza, que já foi presidente estadual e secretário de organização do partido.

“Qualquer organismo chegar a cem anos é difícil, ainda mais um organismo como o PCdoB, que é uma instituição política em nosso país – que tem tradição de acabar e iniciar partido de acordo com os interesses eleitorais”, disse o atual presidente do PCdoB na Bahia, o secretário estadual de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Davidson Magalhães.

O dirigente descreveu que o partido é uma das instituições mais antigas do país, enfrentou duas ditaduras, passando desde o Brasil da República Velha até os tempos atuais. Em seu discurso, Magalhães lembrou que os comunistas, como ardorosos defensores da democracia, foram as primeiras vítimas do processo de ditadura no Brasil.

Em agenda no interior, o governador Rui Costa não pode estar presente, porém encaminhou mensagem que foi lida e aplaudida no ato: “Nesse momento de comemoração saúdo a direção e militância do Partido Comunista do Brasil e parabenizo por estes 100 anos de existência e atuação no ambiente social e político brasileiro. Ver um partido com a sua luta legítima em prol do povo deste país alcançar a longevidade nos dá esperança de que nossa democracia se fortaleça e jamais se curve diante de ameaça”.

Os quatro representantes do PCdoB na ALBA ressaltaram a luta centenária do partido em prol dos trabalhadores, da democracia e dos direitos humanos. Fabrício Falcão frisou que os comunistas sempre estiveram na defesa das lutas e das liberdades no Brasil. Bobô se definiu como ‘soldado do partido’ com atuação parlamentar no interior da Bahia, lamentando não ter convivido com algumas figuras históricas da agremiação. Olívia Santana enalteceu a força da juventude comunista, cuja militância política “é forjada na luta, e não no sobrenome”. Com atuação em Juazeiro e região do São Francisco, o deputado Zó declarou sua paixão pelo partido: “Se o PCdoB me faltasse, eu ia sofrer muito”.

Da bancada federal do partido no Congresso, Alice Portugal destacou que o PCdoB tem uma marca de luta em defesa do povo brasileiro e da democracia, e citou Haroldo, Loreta e Péricles como referências em sua formação política; já Daniel Almeida destacou que a militância honra o passado, a tradição e a trajetória do partido, e que, “mais do que nunca, o socialismo está vivo”. Ao final do evento – como anunciado por Alice Portugal – ocorreu a filiação ao PCdoB do músico Juracy Bemol, da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA).

Também prestigiaram o ato, a presidente do PSB na Bahia, a deputada federal Lídice da Mata; e os petistas deputados Rosemberg Pinto, líder do governo na ALBA, e Osni Cardoso, líder da bancada do PT na Casa. Ainda compuseram a mesa do evento: Geraldo Galindo, vice-presidente estadual do PCdoB; Julieta Palmeira, secretária estadual de Política para as Mulheres; Rosa de Souza, presidenta do CTB-Bahia; Natan Ferreira, presidente da UJS; Ângela Guimarães, presidenta da Unegro; Juliana Campos, presidenta da União Brasileira de Mulheres; Lívia Ferreira, presidenta da UNALGBT da Bahia; Cacique Aruã; prefeito Fred Vasconcelos, de Licínio de Almeida; prefeito Professor Tone, de Aratuípe; entre outras lideranças.




Nenhum comentário: