29 de nov. de 2022

A importância da Preservação do Patrimônio Arqueológico do Território Sertão Produtivo

 



O Ministério da Cultura – IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) publicou uma cartilha sobre a PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO do Estado de Goiás onde faz uma abordagem didática sobre o que é Patrimônio Cultural, Arqueológico, Sítio Arqueológico e Por que é importante preservar e estudar os sítios arqueológicos.

Tendo em Vista, os diversos estudos e as pesquisas realizadas sobre o tema no Território Sertão Produtivo, o Blog do Latinha publica um resumo da cartilha adaptando-o a realidade regional com o objetivo de conscientizar a população e o Poder Público sobre a importância de preservarmos o nosso patrimônio cultural, histórico e arqueológico do território.

O que quer dizer Patrimônio Cultural?

Segundo a cartilha, a expressão “patrimônio cultural” refere-se a todos os bens culturais que herdamos de nossos antepassados. Esses bens podem ser materiais e imateriais. Os bens materiais compreendem as edificações ou quaisquer objetos ou artefatos utilizados cotidianamente, ou em momentos especiais e ritualísticos. Os imateriais constituem os saberes, as festas tradicionais, as músicas, as receitas etc. O importante é que esses bens tenham significa e valor para grupo de pessoas, conforme prevê a Constituição de 1988 no Artigo 216.

Exemplo de bem material: O Lajedo e o Túmulo de Leocádia; exemplo de bem imaterial: História do crime hediondo de Leocádia (1890).



O valor de um bem cultural não é monetário, mas simbólico, afetivo, histórico e de sentimento de pertencimento.

O que é o Patrimônio Arqueológico?

O Patrimônio Arqueológico é o menos conhecido e compreende todos os vestígios materiais deixados por nossos antepassados. Esses povos habitaram nossa terra desde milhares de anos e não possuíam ainda a escrita para contar sua história. Hoje, podemos saber como eles viviam através dos artefatos e outras evidências que são encontradas nos sítios arqueológicos.

O que é Sítio Arqueológico?

Sítio arqueológico é um lugar no meio ambiente onde são encontrados vestígios ou evidências de ocupação humana no passado. Nos sítios arqueológicos são encontrados diversos tipos de objetos produzidos, utilizados e descartados pelo homem do passado (Cerâmicos – objetos produzidos através da queima da argila ou barro; Líticos – artefatos confeccionados em pedra, um machado, uma ponta de flecha; além dos objetos materiais, outros tipos de elementos indicam a presença da atividade humana no passado – pinturas e gravuras em paredões e abrigos, restos de fogueiras e aglomerados de pedras).

O tipo de Sítio Arqueológico existente na nossa região?

No Território Sertão Produtivo existem vários tipos de sítios arqueológicos. Os mais comuns são:






Sítios de grandes aldeias ou sociedades: são sítios a céu aberto, que foram ocupados por grupos agricultores;

Sítios de oficinas líticas: são lugares em que eram produzidos os inúmeros tipos de instrumentos em pedra lascada ou polida, utilizados para a caça, a pesca, além dos objetos utilizados no dia a dia;

Pequenos sítios de acampamento: são locais utilizados nas atividades de caça ou de grandes deslocamentos de grupos nômades em busca de novos territórios;

Sítios de cemitérios: são locais onde foram sepultados os nossos antepassados, em enterramentos no interior de urnas fabricadas em cerâmica;

Há também inúmeras grutas – abrigos -, em cujos paredões de pedra foram deixadas esplêndidas pinturas e gravuras que contam sobre vários aspectos da vida desses indivíduos.

Por que é importante preservar e estudar os Sítios Arqueológicos?

Os sítios arqueológicos são nossa única fonte de informações sobre como viviam os nossos antepassados pré-históricos. Precisamos conhecer como as populações se espalharam pelos vários continentes, como conseguiram se adaptar e, em certa medida, controlar o meio ambiente, e como criaram seus utensílios de pedra, de madeira, de osso, de cerâmica e, posteriormente, de ferro.

Os vestígios encontrados nos diversos sítios arqueológicos nos auxiliam na resposta de diversas perguntas: Como esses homens se organizaram em grupos e criaram famílias, bandos, sociedades? Como dividiam o trabalho? Entre outros aspectos.

Como esses homens não dominavam ainda a escrita, só podemos conhecer o passado mais remoto da humanidade através dos vestígios encontrados nos sítios arqueológicos. Por isso é muito importante preservá-los. A cada sítio arqueológico destruído, perde-se uma parte da história da civilização humana, que nunca mais poderá ser estudada, entendida e contada.

A ciência que estuda os sítios arqueológicos é a Arqueologia. Os arqueólogos são os profissionais habilitados a analisar os vestígios e restos encontrados, utilizando inúmeras metodologias e técnicas multidisciplinares. Cada sítio arqueológico pesquisado é uma peça desse quebra-cabeças.

Somente um arqueólogo autorizado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) pode realizar pesquisas e escavações em sítios arqueológicos.

Quando você encontrar um sítio arqueológico nunca retire peças ou objetos. Registre sua descoberta através de fotografias e proteja o patrimônio cultural pré-histórico informando ao IPHAN sobre sua localização. Lembre-se de que, seus filhos e netos também poderão conhecer e desfrutar do conhecimento e da beleza desses patrimônios culturais.

É importante saber!

Todos os sítios arqueológicos são considerados “Patrimônio Cultural Brasileiro” e são protegidos pela Constituição Federal e por outras leis específicas. É PROIBIDO O USO ECONÔMICO, A DESTRUIÇÃO OU MUTILIZAÇÃO DOS SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS ANTES DE SEREM DEVIDAMENTE PESQUISADOS.


Qualquer ato que importe a destruição ou mutilação de monumentos arqueológicos será considerado crime contra o Patrimônio Nacional e, como tal, estará passível de punição, de acordo com as leis penais.

Para implantar qualquer empreendimento que demande remoção ou movimentação de solo, deve ser realizado um levantamento arqueológico. É o chamado LICENCIMENTO AMBIENTAL.

Fonte: Ministério da Cultura – IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) - Cartilha PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO Goiás.

Nenhum comentário: