30 de jun. de 2022

Encontro de Economia Solidária reúne 1.200 pessoas em Salvador

 

                                                                        Foto: Divulgação

O 2º Encontro Estadual de Economia Solidária da Bahia reuniu, nesta quinta-feira (30), 1.200 pessoas, entre gestores públicos, representantes de organizações da sociedade civil, associações, cooperativas, grupos e redes produtivas. O evento – que aconteceu no auditório do Grand Hotel Stella Mares, em Salvador – foi realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), e debateu as conquistas e os desafios do segmento.  

“Somos o estado mais avançado em políticas públicas para a economia solidária e popular. São 15 centros públicos em funcionamento e mais de 40 mil famílias atendidas. O encontro é o momento de consolidação e fortalecimento desse setor, como um instrumento decisivo de desenvolvimento territorial”, ressaltou o titular da Setre, Davidson Magalhães. 

Referência nacional 

O superintendente estadual de Economia Solidária, Milton Barbosa, elencou outras iniciativas que colocam a Bahia em posição de destaque na área. “Já foram R$ 192 milhões de investimentos da gestão estadual. Além da oferta de assistência técnica gratuita e contínua aos empreendimentos, temos 22 lojas instaladas vendendo os produtos em toda a Bahia. Realizamos, em média, 60 feiras anuais, já promovemos cinco festivais e temos, também, ações na área de desenvolvimento tecnológico”, acrescentou. 

Perspectivas 

O encontro foi marcado pelo lançamento da Carta de Economia Solidária, um documento que será entregue ao governador com propostas para o setor. “A carta foi construída por várias mãos, a partir da sistematização das escutas realizadas em plenárias desde 2018. As propostas incluem o fortalecimento da assistência técnica aos empreendimentos, reafirmam a importância dos Centros Públicos de Economia Solidária e das organizações da sociedade civil na gestão, comercialização e consolidação das redes territoriais e abrangem questões relacionadas às finanças solidárias e ao meio ambiente”, explicou a coordenadora do Fórum Baiano de Economia Solidária, Gisleide Carneiro. 

A programação contou também com a posse da coordenação da Frente Parlamentar de Economia Solidária da Assembleia Legislativa da Bahia. O colegiado tem o objetivo de garantir uma relação permanente com os conselhos da área, dialogar com os diversos órgãos do governo e acolher proposições para a construção de políticas públicas que possam contribuir para o avanço do segmento. 





Fonte: Ascom Setre

Nenhum comentário: