14 de mai de 2017

O ACERVO HISTÓRICO DA FUNDAÇÃO JOAQUIM DIAS GUIMARÃES NA SEMANA DE MUSEUS

O principal atrativo do museu é a maquete do artista plástico Wagner Moraes.
Por meio de suas mãos 
e de sua memória 
foi possível reconstruir a Vila do Beija-Flor, a Lagoa
e diversas paisagens e monumentos da História da cidade.

No mês de maio, acontece a programação da 15ª Semana de Museus, entre segunda-feira (15) e domingo (21). A Fundação Joaquim Dias Guimarães é uma instituição pioneira na área do patrimônio histórico e cultural de Guanambi. A entidade detém um acervo de documentos e peças da história cultural, política, social e econômica da cidade.

 Câmara de Vereadores de Guanambi, através do Presidente Agostinho Lira,
promoveu a entrega do Memorial Legislativo
para a Fundação Joaquim Dias Guimarães, para uso da sede da entidade,
com objetivo de realizar atividades culturais e de resgate da história do município.


 Pedro Roberto Ivo e Dr. Luia Lélis -
Ex-Secretários de Cultura de Guanambi,
Juvenice Amaral e José Carlos Latinha.

Presidente da Fundação Joaquim Dias Guimarães - Nice Amaral,
Professor João Rocha e José Carlos Latinha.

Patrimônio Cultural Guanambiense

A Fundação Joaquim Dias Guimarães foi criada em 1994 com a finalidade de resgatar, preservar e pesquisar aspectos históricos, culturais e folclóricos da cidade de Guanambi. Joaquim Dias Guimarães doou partes de suas terras para a criação do distrito de Beija-Flor, que mais tarde veio a ser Guanambi. A entidade está instalada na Câmara Municipal de Guanambi na Praça Henrique Pereira Donato, 90 no Centro Administrativo.  

O seu museu possui um precioso acervo, parte pertencente ao fazendeiro Joaquim Dias Guimarães e que foi ampliado ao longo dos anos por doações de muitos colaboradores, a exemplo do professor e escritor Elísio Cardoso Guimarães e do artista plástico, escultor, escritor e poeta Vagner Moraes (ambos falecidos), sócios fundadores da entidade.