15 de jul. de 2022

A TARDE: Apoio de Lula decide eleições para governador na Bahia


Metade (50%) dos baianos torce pela vitória de um candidato apoiado pelo ex-presidente


Com o apoio de Lula, Jerônimo Rodrigues (PT), que em maio detinha 34%,

atinge agora 38% - Foto: Uendel Galter | Ag. A TARDE


A nova rodada da pesquisa Genial/Quaest realizada com eleitores da Bahia confirma que o desempenho dos candidatos à disputa ao governo estadual está diretamente influenciado pelo apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato à Presidência da República.

O ex-prefeito ACM Neto (União Brasil), que informa ser candidato independente, tem 43% das intenções de voto e variou negativamente quatro pontos percentuais em relação ao levantamento feito pelo mesmo instituto de pesquisa em maio.

Com o apoio de Lula, Jerônimo Rodrigues (PT), que em maio detinha 34%, atinge agora 38%, variando positivamente quatro pontos percentuais. João Roma, candidato vinculado ao presidente Jair Bolsonaro, detinha 9% em março, subiu para 10% em maio e agora chega a 11%. Os indecisos, que eram 10% em maio, agora estão em 8%.

Metade (50%) dos baianos torce pela vitória de um candidato apoiado por Lula, segundo a pesquisa, enquanto 16% preferem alguém ligado a Bolsonaro. E 30% dos eleitores gostariam que o vitorioso não fosse próximo nem do atual nem do ex-presidente. 

Outro dado apurado pela pesquisa é que 23% ainda não sabiam que Lula apoia o candidato Jerônimo e 76% souberam da informação apenas no momento da entrevista.

Senado e Presidência

A pesquisa Genial/Quaest também aponta Otto Alencar como favorito ao Senado, com 32% das intenções de voto. Em seguida, aparece Cacá Leão (Progressistas), com 10%; Raíssa Soares (PL) e Marcelo Nilo (Republicanos), ambos com 6%; e Tâmara Azevedo (PSOL), com 4% da preferência do eleitorado.

Na disputa para o Palácio do Planalto, o ex-presidente Lula está 43 pontos à frente do presidente Jair Bolsonaro. Se a disputa fosse hoje, Lula teria 62% dos votos, contra 19% de Bolsonaro. Ciro Gomes está com 5%; André Janones (Avante), com 2%; Simone Tebet (MDB) e Vera Lúcia (PSTU), com 1%. Os demais candidatos não pontuaram.

A avaliação negativa do governo caiu de 59% para 56% e a positiva subiu de 16% para 19%.  Em uma simulação de segundo turno, Lula teria 69% das intenções de voto (mesmo número da pesquisa de maio) contra 21% de Bolsonaro, que cresceu um ponto.

O Instituto realizou 1.140 entrevistas, de forma presencial, entre os dias 9 e 12 de julho. A margem de erro é de 2,9 pontos percentuais.

 


Nenhum comentário: