9 de mar. de 2022

Fernando Horta, Professor de História: Ucrânia, o que é?


                                                                          247 BRASIL


Fernando Horta, professor de História


Ninguém falou do racismo de povos europeus para com os eslavos que existe desde a antiguidade e como isso condiciona e distorce o entendimento de qualquer ação oriental. Tudo vira "ameaça" ao branco europeu.

Ninguém falou para você que Kiev e Moscou guardam uma rivalidade que vem desde a baixa Idade Média e que Ucrânia e Polônia sempre foram as passagens para europeus atacarem o território russo.

Ninguém falou para vocês que tanto na Primeira, quanto na Segunda Guerra Mundial a população que hoje é a Ucrânia entrou parte de um lado e parte do outro nos conflitos. Na Segunda Guerra Mundial, metade da Ucrânia lutou ao lado dos nazistas massacrando os próprios ucranianos contrários. 

Ninguém falou para vocês que a Ucrânia tem o maior número de filiados a partidos neonazistas fora da Alemanha e é assim desde a Segunda Guerra.

Ninguém também te disse que o discurso ultra nacionalista, de ódio à Rússia é a base da formação do nacionalismo moderno ucraniano.

Ninguém disse que em 2014, Europa e EUA deram um golpe na Ucrânia e removeram um presidente eleito democraticamente que era pro-Rússia porque ele não aceitou entrar na otan e UE e negou receber empréstimos dessas instituições.

Ninguém contou a vocês que nesse processo foram liberadas as milícias nazistas que mataram mais de 500 pessoas nos "confrontos contra comunistas" em toda a Ucrânia. Massacraram inclusive crianças. Coloquei entre aspas para você notar a mesma paranoia bolsonarista.

Ninguém falou para vocês que desde 2014 os russos tentam medidas para afastar a Ucrânia do caminho do antagonismo. A construção dos gasodutos nord strom 2 visava também privar a Ucrânia das receitas do aluguel que a Gazprom paga e assim pressionar o governo ucraniano.

Ninguém falou para vocês que a Ucrânia tal qual se tem hoje é uma construção de 1991 e que suas fronteiras e segurança foram acertadas em um tratado de entrega das armas nucleares soviéticas que estavam na sua posse. Nesse tratado a Ucrânia se comprometeu uma a não ser uma ameaça a Rússia.

Ninguém falou para vocês que desde 2000 para cá 11 países que fazem fronteira com a Rússia entraram na Otan e receberam bases militares, incluindo Letônia, Estônia e Lituânia.

E que havia um acordo registrado entre Gorbachev e EUA e Inglaterra de que a Otan não iria para o leste.

Ninguém falou para vocês que o nacionalismo russo e ucraniano na Ucrânia é complicado com falantes russos declarando-se ucranianos e falantes ucranianos querendo unificação com a Rússia. 

Isto demonstra a fraqueza do argumento do "estado nacional ucraniano" pré-existente.

Ninguém falou para vocês que Zelensky se elegeu com a retórica da antipolitica e com propaganda anti Rússia e até metralhando membros do parlamento ucraniano. 

Aliás, o primeiro ato de Zelensky foi fechar o parlamento e convocar novas eleições.

Sem este tipo de informação, qualquer análise do conflito está completamente equivocada. 

A Ucrânia representa insegurança para a Rússia tanto quanto Cuba para os EUA ou a Bélgica para os ingleses. 

Agora olhe o que aconteceu quando colocaram mísseis ou invadiram esses lugares.

É muito conveniente do alto do seu sofá tomar a decisão moral de ficar de um dos lados do conflito. 

É fácil declarar a culpa de A ou de B. 

Mas isso é posicionamento de irresponsáveis ou perversos. E é trabalho porco de maus profissionais.

Incitando esse tipo de comportamento vocês estão dilatando o conflito e usando as vidas de inocentes russos e ucranianos no grande jogo da disputa ocidente e oriente. 

Qualquer posição pacifista hoje tem que pedir cessar fogo e negociações longe da OTAN.



Fernando Horta

Nenhum comentário: