24 de out. de 2022

População interdita linha férrea utilizada pela BAMIN na Bahia





Comunidades cobram respostas da mineradora pelos impactos de sua operação


Cansados de esperar a resolução dos problemas em torno do transporte do minério de ferro, cerca de 200 moradores das comunidades rurais de Licínio de Almeida, no semiárido da Bahia, interditam a linha férrea que corta o município. Moradores estão impedindo o transporte ferroviário desde a manhã desta segunda-feira (24), a fim de pressionar a BAMIN ao diálogo.

Moradores das comunidades já estão a 29 dias de interdição da rodovia BA-156 e nenhum contato foi estabelecido por parte da empresa com o objetivo de atender às reivindicações da população.

O povo da região tem sofrido intensamente com a poeira excessiva, em decorrência do tráfego de caminhões, o desperdício de água potável para molhar a via e, sobretudo, pelo desrespeito da empresa em relação às reivindicações.

Não há debates entre moradores, a empresa e órgãos públicos, de modo a identificar situações e apresentar proposições para os mesmos. Representantes dos movimentos solicitam audiência pública em caráter de urgência para debater os impactos da mineração com toda a população de Licínio de Almeida.

O asfaltamento do trecho da BA-156 é outra exigência popular. Solicitam ações imediatas neste sentido, pois, além de diminuir a poeira para moradores, suas casas e plantações, o uso indiscriminado da água dos poços por parte da mineradora ocasiona, à médio e longo prazo, o assoreamento de rios da região, o rebaixamento do lençol freático e uma maior tragédia hídrica no local, uma vez que já é corriqueiro o sofrimento por escassez de água na região.

Uma assembleia popular ocorre, neste momento, em cima dos trilhos.



A ação conta, ainda, com as participações do Movimento pela Soberania Popular na Mineração, associações de moradores, Comissão Pastoral da Terra, Centro de Agroecologia no Seminário, Cáritas e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais na Agricultura Familiar de Licínio de Almeida – SINTRAF.

FONTE - MAM 

FOTOS - MAM

Nenhum comentário: