8 de abr. de 2021

Carta pública contra o início da mineração da BAMIN sem diálogo com a população



A Bahia Mineração foi formada em 2006 após a descoberta, em 2005, da mina Pedra de Ferro em Guanambi/BA.

E já coleciona inúmeros conflitos e deixa rastros de ações equivocadas por onde passa. 

💣 Desde de que chegou na região a empresa provocou diversos conflitos com a população, causou uma série de problemas em torno do acesso à terra, à água e em relação à segurança de seus empreendimentos. Desapropriações realizadas de maneira inadequada, aquisição duvidosa do local onde pretende construir sua barragem de rejeitos (projetada para ocupar o espaço onde há essas nascentes e o riacho), não cumprimento das condicionantes contidas no Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental. Além de realizar visitas persuasivas nas comunidades ao longo dos locais onde se pretende passar a Fiol. 

❌ A BAMIN mente, omite, pratica corrupção: omitiu a existência da maior parte das nascentes do riacho Pedra de Ferro e fraudou a informação sobre o papel da fonte de água para a população, afirmando existir apenas três famílias dependentes da água, quando na verdade, entre usuários diretos e indiretos, o número chega a três mil. Além disso, a BAMIN excluiu do relatório famílias da zona de impacto, que serão, na realidade, atingidas pela empresa. Isso motivou o MP a emitir uma recomendação à BAMIN para apresentar novo estudo, que até hoje não foi feito.

💥 Se sabemos que essa é a forma de ação da BAMIN como confiaremos que ela cumprirá com os discursos que divulga hoje para se instalar em Ilhéus? Há responsabilidade de ação no histórico dessa empresa ou o que vemos são apenas mentiras e violações?

🍀 Progresso, desenvolvimento, criação de empregos e garantia de futuro para a população é o que queremos, com a Bahia Viva, e não com a destruição e exploração.

(Fonte: Carta pública contra o início da mineração da BAMIN sem diálogo com a população)

Nenhum comentário: