Degradação ambiental do Rio Carnaíba de Dentro e os Riachos do Belém e dos Brindes em Guanambi


De acordo estudos de campo, observa-se que o principal problema de desenvolvimento de Guanambi é a questão ambiental, a preservação das bacias hidrográficas, os resíduos sólidos, o desmatamento das áreas verdes e degradação das áreas históricas e naturais.

A realização do I Fórum Municipal de Educação Ambiental promovido pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e o Conselho Municipal de Meio Ambiente foi fundamental para elaboração de um diagnóstico dos problemas ambientais da cidade.


Neste sentido, a principal decisão foi a necessidade de revitalização e preservação das bacias hidrográficas de Guanambi: Rio Carnaíba de Dentro e de Fora e os Riachos do Belém e dos Brindes.

No dia 06 de agosto, o Prefeito Jairo Magalhães convocou o Conselho Municipal de Meio Ambiente e o Conselho da Cidade para apresentar um projeto de construção de uma grande avenida no trecho do Riacho dos Brindes.




O debate gerado em entorno da proposta foi de que a legislação ambiental prevê a necessidade de estudos técnicos sobre os impactos ambientais e o principal foco deve ser a recuperação e a preservação da área que faz parte da bacia hidrográfica da cidade.

O Ministério Público e a Justiça Federal interviram judicialmente no processo de degradação do Riacho dos Brindes e da Lagoa de João Amaral - áreas de preservação permanentes. Os responsáveis do processo já haviam sido alertados, mas realizaram construções e intervenções nas áreas naturais sem realizar os estudos de impactos ambientais.

Segundo o livro "Bacias hidrográficas de Guanambi: uso, ocupação e conservação", de autoria de Jane Mary Lima, Ivanilda Almeida e Gildava Araújo, relata sobre a degradação do Rio Carnaíba de Dentro e as áreas verdes e destaca que: " A exploração desordenada dos recursos naturais vem causando a degradação ambiental desde meados do século XX, essa degradação acelerou-se a partir do momento em que há o crescimento e o desenvolvimento econômico do município, na década de 1980, no contexto regional".

A cidade de Guanambi é organizada espacial pela bacia do rio Carnaíba de Dentro e o seu afluente da margem direita - Riacho do Belém, que atravessa a cidade. Também estão localizadas diversas lagoas, naturais e artificiais, com profundidade e dimensões variadas, que compõem um sistema natural de acumulação de água da cidade. Todas recebem água de chuvas e de um sistema integrado de drenagem, composto de vias, canais e galerias que compõem um sistema natural de acumulação de água.

Ontem (9), a TV Latinha registrou o cenário de degradação do Riacho do Belém do trecho da Ponte de Dona Dedé onde observou-se um grande descarte de lixo, esgoto e queimada na área. Em contra posição também identificou-se diversas espécies de aves, peixes e outros animais silvestres.













Nesse sentido, pensar em qualquer intervenção nas bacias hidrográficas de Guanambi, significa recuperação das áreas degradadas e preservação do que resta de recursos naturais e ambientais, conforme a legislação ambiental, o Plano Diretor e ao Código de Defesa do Meio Ambiente de Guanambi.

A ideia defendida pelo Observatório UniFG do Semiárido Nordestino é de elaboração um projeto de recuperação e preservação nas bacias hidrográficas de Guanambi com a implantação do PARQUE FLUVIAL DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DO RIO CARANAÍBA DE DENTRO E DOS RIACHOS DO BELÉM E DOS BRINDES.




A ONG Prisma tem uma luta histórica em defesa da natureza é destaca que a recuperação das nossas bacias hidrográficas passa pelo reflorestamento e recuperação das matas ciliares da cidade.

    
Share:
Postar um comentário

Acesse e Leia!

Seguidores

Mais Vistos da Semana

Arquivo do blog

Google+ Followers

Arquivo do blog