HOMENAGEM PELA PASSAGEM DO ANIVERSÁRIO DE ANTÔNIO PRIMO COSTA



09.02.1908 – 03.10.1991


A PERDA (*)
”... É ser surpreendido pela memória que a todo momento se faz presente com a cara do passado, se infiltrando nos desvaneios das lembranças.”

Antônio Primo Costa nasceu no dia 09.02.1908 no distrito da Lagoa da Espera, atual Mutans, em Guanambi. Era filho Antero Vieira Costa e Jardelina Maria da Paz. Faleceu em 03.10.1991.








Hoje estaria completando 110 anos – PARABÉNS MEU PAI.  

Relatar e falar de Antônio Primo Costa é como ir no fundo do coração, envolvendo em sentimentos e emoções, sentindo saudade e, acima de tudo, recordar a sua simplicidade, humildade, honestidade, solidariedade e trabalho.

A união dos nossos familiares está calçada no sangue e na lembrança de Antônio Primo. É como se ele estivesse vivo em nossa memória e nos guiando, passo a passo, para seguir a bússola da vida.

Antônio Primo foi sinônimo de coerência, trabalho, luta, labuta, justiça e fraternidade. O seu lema principal era repartir o pão. Essa é a maior herança que recebemos  do nosso pai. A maior riqueza que uma família pode ter – ORGULHO POSITIVO.

Antônio Primo era como uma pedra bruta, que foi lapidada, através da vida, do suor do trabalho e de perseverança, construindo um diamante belo e brilhante. A teoria e a prática se juntam num mesmo elo dialético. Ele teve pouca escolaridade, mas o seu conhecimento adquirido na vida prática, transmite-nos de forma simples e objetiva, o verdadeiro ensinamento que as novas gerações precisam adquirir.

Os seus pensamentos e as lições passadas no dia-a-dia, eram recheadas de sabedoria, modéstia, dignidade, honradez, coragem, espírito de iniciativa, pureza, amor, afeição à família e aos amigos e seres humano enfim, qualidades que nunca esqueceremos e que guardamos e transmitimos ao longo da vida para os nossos filhos, netos, bisnetos, tataranetos e as gerações futuras.

Hoje (09.02.2017), na data de seu   nascimento, reverenciamos a sua memória, procurando mantê-lo vivo, rememorando e captando as lições do passado e que as novas gerações da nossa família, colham os frutos plantados ao longo da vida – ANTÔNIO PRIMO COSTA, você está vivo nas nossas mentes e corações...

A saudade bate firme. Ao escrever estás simples palavras, a emoção e as lágrimas correm. Você sempre estará ao nosso lado – presente. De onde você estiver, nos ilumine para cumprirmos a nossa missão de construir uma sociedade mais justa e mais humana – PÃO, TRABALHO, JUSTIÇA, SOLIDARIEDADE e FRATERNIDADE era o seu lema.

O seu desapego aos bens materiais é um exemplo de espirito desprovido de vaidades e cobiças.

Não fugiremos da rota que nos ensinou. A sua experiência é a bússola e o guia para as nossas ações. As suas lições serão eternas, enquanto durar nossa permanência na vida terrena.

A FAMÍLIA






Em 17/12/1931 Antônio Primo Costa resolveu constituir família e casa-se com sua primeira esposa Adalgísia Ferreira Costa e desse enlace matrimonial  nasceram seis filhos: Nelson Primo Costa, Benedito Primo Costa, Valmique Primo Costa, Onílio Primo Costa, Sidney Primo Costa e José Nilson Primo Costa.


Em 29/10/1943 faleceu Adalgísia Ferreira Costa. Viúvo e com seis filhos, Antônio Primo Costa casa-se novamente, com Carmita Aurora Lelis Costa, no dia 10 de outubro de 1945, na presença do Juiz de Direito Dr. Milton Costa, tendo como testemunhas Gercino Coelho, Pedro Francisco de Morais, Eujácio Vieira Costa, Nilson Alves Brandão, José Leôncio Cardoso (Padrim Zeca) e Gustavo Bezerra. O casal fixa residência na vila de Mutãs, na Praça da  Matriz.



A jovem Carmita (19 anos), com muito carinho e dedicação, assume a maternidade dos seis filhos do primeiro casamento de Antônio Primo e com o  tempo nasceram mais treze filhos: Almir Lélis Costa, Isa Maria Lélis Costa Simões, Adalgísio Lélis Costa, Maria Dolores Lélis Costa Holthouser, Antônio Wilson Lélis Costa, Mário Lúcio Lélis Costa, Edson Luiz Lélis Costa, Maurício Lélis Costa, Marco Venício Lélis Costa, José Carlos Lélis Costa, Julio César Lélis Costa, Ana Maria Lélis Costa Araújo e Antonio Primo Costa Filho.


 Para manter o sustento de tantos filhos e parentes foram muitos anos de lutas e labutas. Antônio Primo e Carmita era um casal de guerreiros em uma época em que a sobrevivência era difícil. Para seus filhos desejavam o que não tiveram oportunidade de ter por falta de condições econômicas, o maior bem os estudos. O maior sonho dos dois se concretizou com o envio de todos os 19 filhos para estudarem em Salvador e em outros estados, o que lhes custou uma luta gigante.


A dedicação de Antônio Primo ao comércio com gado, algodão, couro, feijão, farinha, ovinos, caprinos, equinos e às suas fazendas é que garantiu a maioria do sustento da Família. Carmita com uma guerreira, perseguiu este sonho, sem permitir que nenhuma dificuldade a demovesse.

PARABÉNS PAI.

“... Perder alguém que se ama, é ver uma vida se distanciar das nossas retinas e sentir a eternidade se alojar dentro da gente”.

* INÁIÁ COSTA SIMÕES

FOTOS HISTÓRICAS DE ANTÔNIO PRIMO E FAMÍLIA

VEREADOR DE GUANAMBI - 1951/1954


BUSTO DE ANTÔNIO PRIMO COSTA 




Inauguração da Praça Antônio Primo Costa em Guanambi






No dia 06.04.2013, no bairro Paraíso em Guanambi, a Prefeitura Municipal realizou a inauguração da Praça Antônio Primo Costa com as presenças do Prefeito Charles Fernandes e a primeira dama Jailma, Vice-Prefeito Elder Guimarães e autor do projeto de lei que denominou o nome a praça, Ex-Prefeito Sr. Nilo Coelho e Dona Solange.
TROPEIRO,  COMERCIANTE  E PRODUTOR RURAL


















ÁLBUM DE FAMÍLIA








































Share:

Nenhum comentário:

Acesse e Leia!

Seguidores

Mais Vistos da Semana

Arquivo do blog

Arquivo do blog