A empresa Google, valendo-se do seu poderio econômico, sente-se na confiança da impunibilidade, na infringência da lei brasileira



Ana Maria Ferraz Cardoso 
OAB/BA 36.443


Em meados do ano de 2011, na cidade brasileira de Guanambi no interior do estado da Bahia, um veículo GM/CAPITIVA, placa EMO-0170, de São Paulo, conduzido pelo Sr. Hugo Cesar Navarro Donato, veículo de propriedade da empresa GOOGLE, provocou um terrível acidente, vitimando o Sr. Jose Nilton Oliveira dos Santos. O motorista da empresa GOOGLE, estava realizando uma conversão irregular, quando provocou uma colisão com a motocicleta conduzida pelo Sr. Jose Nilton. 

A vítima ingressou com uma ação indenizatória contra a GOOGLE, que encontra-se em trâmite na vara cível da comarca de Guanambi – Bahia, http://esaj.tjba.jus.br/cpopg/show.do?processo.codigo=2GZ0C04X20000&processo.foro= 88&dadosConsulta.localPesquisa.cdLocal=88&cbPesquisa=NMPARTE&dadosConsulta.t ipoNuProcesso=UNIFICADO&dadosConsulta.valorConsulta=Jose+Nilton+Oliveira+dos+ Santos&vlCaptcha=dieMY&paginaConsulta=1, ação esta que se arrasta sem uma resolução desde o ano de 2012, como diversas outras demandas propostas no judiciário brasileiro. 

O veículo estava a serviço da empresa Google, fazendo um mapeamento fotográfico da cidade de Guanambi, para utiliza-las em seu serviço, conhecido como Google Street View.
O condutor da empresa estava indubitavelmente errado quanto a sua conduta, pois, realizou a conversão em local proibido, colidindo com a motocicleta da vítima, que fora totalmente danificada, e o Sr. Jose Nilton, sofreu uma fratura exposta na perna direita, tendo a sua tíbia esmigalhada pelo impacto da criminosa colisão que acertou diretamente os membros inferiores da vítima, dilacerando alguns de seus ossos, provocando-lhe fraturas expostas e diversas sequelas. 

A empresa Google, em momento algum prestou socorro ou reparou qualquer dano sofrido pela vítima, o que deixa latente que, sente-se, a milionária empresa no direito de ferir a integridade física, psicológica e material deste cidadão, sem experimentar ou preocupar-se com qualquer consequência ou repercussão de seus desumanos atos. 

Após o ocorrido, O Sr. Jose, precisou passar por inúmeras cirurgias, onde fora implantada em sua perna, uma placa DCP de 8 furos e 6 parafusos. Inclusive, devido ao impacto e ao estado em que ficou seu membro, após a cirurgia a vítima teve encurtamento da perna direita, sofrendo com isso até hoje, já que a sequela acarretou danos permanentes a perna da vítima. Seu José permaneceu internado por mais de três dias, após o acidente, tendo recebido alta no dia 24 de dezembro. E até hoje nunca fora procurado pelos representantes da milionária GOOGLE, ninguém ao menos se preocupou em saber se a vítima está viva.

As agruras do Sr. Jose, não se encerraram com o terrível encurtamento de seus membros inferiores, a vítima teve ainda, pseudoartrose (não consolidação de uma fratura), Varismo (sobrecarga nos estabilizadores secundários do joelho, alongamento da capsula, do ligamento colateral lateral e da banda iliotibial” que gera “fraqueza do grupamento muscular lateral da coxa e, consequentemente, perda da estabilidade lateral. Isto pode desenvolver a “síndrome da banda iliotibial, onde o estado de tensão dessa banda repercute em maior atrito sobre o epicôndilo lateral do fêmur durante os movimentos de flexão e extensão, que pode resultar em processo inflamatório local, acarretando ainda mais sequelas, ou seja, a vítima convive com constantes e fortes dores do membro operado. 

Devido a essas complicações, no ano seguinte, a equipe médica indicou a ele a necessidade de uma nova intervenção cirúrgica, para que fosse realizada uma osteotomia corretiva, enxerto ósseo e fixação. 

As sequelas do acidente perduram, além das fortes dores, até os dias de hoje, além do defeito físico permanente, ou seja, o encurtamento do membro inferior direito, ter passado por uma intervenção cirúrgica e a necessidade de uma outra intervenção cirúrgica, o qual o rapaz até hoje não teve meios para custear, sendo impossibilitado de retornar ao seu trabalho, que exige a condução de sua motocicleta. 

Mesmo ante todo o abalo causado na Vida do Sr. Jose, os representantes da empresa GOOGLE jamais tiveram a mínima consideração, ao menos buscaram contato com o rapaz, ao menos para constatar o estado de saúde em que este se encontrava e encontra, fazem questão de ignorar o fato de que a vítima ficou extremamente debilitada pelo acidente, a milionária GOOGLE tão pouco teve a preocupação de propor qualquer solução amigável, a fim de reparar ao menos os danos matérias causado por ela. Isso evidência uma total e completa apatia da Empresa para com os particulares que venham a sofrer com os danos provocados pela exploração de suas atividades lucrativas, demonstrando o descaso e desprezo para com o direito alheio. 

Sem a mínima atenção ou possibilidade de obter qualquer resolução amigável para seus imensuráveis prejuízos, o Sr. Jose, ingressou com uma demanda judicial no ano de 2012, contra a empresa, a fim de ver reparado ao menos parte de todo o dano e sofrimento experimentado por esse. Ocorre que, mesmo ante o direito ferido de um cidadão, a empresa sente o gosto da impunidade, ante a morosidade da justiça brasileira, que perdura até hoje sem uma solução ao litigio. A empresa Google, por sua vez, permanece na sua posição fria, calculista e comercial, como de se esperar de empresas que visam sempre os lucros, apenas os números, sem analisar mensurar e ou preocupar-se com os resultados danosos de suas ações, sem mostrar qualquer inclinação em tentar qualquer acordo com o cidadão afetado pelo acidente, muito pelo contrário, segue aproveitando da morosidade da justiça brasileira e vem criando incidentes sem procedência e respaldo no processo, criando obstáculos para o seu andamento, e assim evitando que recaia sobre seus ombros a justa e devida punição. 

Hoje, o Sr. Jose Nilton, mesmo após as diversas intervenções cirúrgicas a que foi submetido, ainda sofre com as dores, cicatrizes, o encurtamento da sua perna direita, e a lembrança amarga de que somente os pobres pagam o pato pelas ações daqueles que tem poder e dinheiro. Fatos que mostram que o poderio econômico da empresa Google se sobressai à justiça brasileira, pisando sobre os demais, sempre, visando tão somente lucro, independente das consequências terríveis que pode provocar.
Share:

Acesse e Leia!

Mais Vistos da Semana

Total de visualizações

Arquivo do blog

Google+ Followers

Arquivo do blog