28 de jun de 2017

SEM LEILÃO DE ENERGIA RENOVÁVEL, HAVERÁ FORTE DESEMPREGO, DIZ SDE

BAHIA ECONÔMICA
28/06 - 17:26hs -

A Bahia lidera o movimento entre os estados brasileiros pela realização de pelo menos um leilão de energia renovável ainda neste ano. O assunto foi o tema central das discussões do primeiro dia do 9º Fórum Nacional Eólico que aconteceu em Natal, no Rio Grande do Norte. O evento reuniu representantes de estados do Nordeste, ABEEólica - Associação Brasileira de Energia Eólica, Chesf e EPE – Empresa de Pesquisa Energética, responsável pelos leilões de energia.

Segundo o superintendente da secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Paulo Guimarães, a falta de leilões gera um problema que é muito mais que econômico, é social. É um grande obstáculo para o desenvolvimento econômico e social do povo baiano. “Não é só uma questão industrial é antes de mais nada uma questão social, porque se nós deixarmos de gerar os milhares de empregos que são gerados na construção dos parques nos próximos anos na região Nordeste, no semiárido, nós vamos involuir do ponto de vista social porque as pessoas que hoje estão construindo dezenas de parques na região ficarão desempregadas”.

Elbia Gannoum, Presidente da ABEEólica, afirmou que a eólica é a segunda fonte mais competitiva e será a segunda da matriz em breve. “A eólica é hoje a energia mais barata do país. No ano passado, apesar da crise, nós crescemos 23%. É preciso contratar energia. Existem projetos prontos para investir, basta fazer os leilões. Hoje nosso desafio maior não está dentro dos estados, das regiões produtoras, está em Brasília. O governo precisa publicar uma portaria dizendo que vai acontecer um leilão ainda este ano”, enfatizou.