12 de mai de 2017

Audiência discute geração de energia eólica no Brasil

CÂMARA DOS DEPUTADOS

Governo da Bahia
Energia - renováveis - Parque de energia eólica em Caetité na Bahia
Parque eólico na Bahia, segundo maior produtor desse tipo de energia no Brasil; Rio Grande do Norte é o primeiro
A Comissão de Minas e Energia vai debater nesta quarta-feira (17) a situação do setor de geração de energia eólica no Brasil. A audiência pública, proposta pelo deputado José Rocha (PR-BA), vai discutir os projetos em execução; as perspectivas de expansão e os entraves enfrentados para essa ampliação; a construção das linhas de transmissão entre os parques geradores e o sistema de distribuição.
"A energia eólica está sendo desenvolvida em muitos estados e é a fonte necessária para o desenvolvimento do nosso País”, afirma o presidente do colegiado, deputado Jhonatan de Jesus (PRB-RR). “O Brasil tem muito a crescer, mas nossas burocracias terminam dificultando novos investimentos na parte de energia eólica."
A energia eólica é gerada por meio de aerogeradores. Neles, a força do vento movimenta hélices ligadas a uma turbina que aciona um gerador elétrico. No Brasil, a primeira turbina de energia eólica foi instalada em Fernando de Noronha, em Pernambuco, em 1992.
Em fevereiro deste ano, a energia eólica foi responsável por 7,1% da matriz elétrica brasileira, atingindo o 9º lugar na geração eólica no mundo.

Debatedores
Foram convidados para discutir o assunto:
- o secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner;
- o prefeito do município baiano de Caetité (onde fica o maior parque de energia eólica do País), Aldo Ricardo Gondim;
- o presidente-executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), ElbiaGannoum;
- um representante do Ministério de Minas e Energia; e
- um representante da Companhia Hidrelétrica do São Francisco.
Ministério de Minas e Energia, de governos estaduais e municipais, entre outros.
A audiência, proposta pelo deputado José Rocha (PR-BA), será realizada no plenário 14 a partir das 9 horas.
Reportagem - Luiz Gustavo Xavier
Edição – Natalia Doederlein