29 de mar de 2017

Guanambi: Prefeitura notifica empresa para apurar possível prática de crime ambiental em lagoa; Empresário nega


Vilson Nunes / Sudoeste Bahia

A empresa Sansset Serviços e Locações Ltda., do ramo de banheiros químicos, com sede à Rua Teixeira de Freitas, em Guanambi, foi notificada sobre denúncia de descartar dejetos em lagoa, nas proximidades da cidade. Contudo, a empresa negou a acusação de crime ambiental.

De acordo com informações apuradas pelo Site Sudoeste Bahia, a denúncia foi efetuada pelo vice-prefeito do município, Hugo Costa, que teria flagrado o caminhão da referida empresa descartando dejetos de fossas e banheiros químicos na lagoa, que fica na saída para Palmas de Monte Alto, conforme vídeo divulgado nas redes sociais. O vice-prefeito reiterou a denúncia, considerou essa conduta da empresa inadmissível e comunicou que as medidas cabíveis estão sendo adotadas. Nós já encaminhamos a filmagem para a Secretaria de Meio Ambiente e Ministério Público, que deverão tomar as devidas providências, disse o autor da representação.
Em contato com nossa Redação, um dos sócios proprietário da empresa, José André Oliveira Cruz informou que só tomou conhecimento dessa ‘inverdade’ na última sexta feira (24/03), negou veementemente ter cometido tal crime ambiental e esclareceu que sua empresa estaria apenas testando um novo sistema de bomba de sucção a vácuo, adquirido recentemente. “Estamos tomando todas as providências judiciais quanto a essa inverdade divulgada de forma irresponsável“, desabafou o empresário.


Conforme relatou o secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Guanambi, Hélio Pereira da Silva, foi instaurado um procedimento investigativo e a empresa acusada já recebeu notificação pelo Departamento de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da prefeitura, para apresentar a sua defesa no prazo de 48 horas, diante da acusação de suposta prática de crime ambiental contida no vídeo apresentado na secretaria. “Após apuração realizada, caso comprovada a irregularidade, a empresa será multada com base na legislação vigente“, esclareceu o secretário.