3 de jan de 2017

Prevenção e tratamento do câncer será um dos focos do Hospital da Mulher



Fotos: Pedro Moraes/GOVBA


Na última década, a incidência do câncer cresceu 20% em todo o mundo. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam mais 27 milhões de novos casos e 17 milhões de óbitos em decorrência da doença para 2030. E nos países em desenvolvimento, como o Brasil, o problema será ainda maior. Por esta razão, o governo baiano vem intensificando as ações de atendimento à saúde da mulher, em razão da alta incidência de câncer de mama e do colo de útero na população feminina.

Um dos equipamentos que o Governo do Estado inaugura na próxima segunda-feira (9), o Hospital da Mulher (antigo Hospital Estadual São Jorge), no Largo de Roma, em Salvador, visa exatamente ser um hospital de referência no atendimento à mulher. Além do diagnóstico e tratamento do câncer, a unidade - que terá serviço de alta resolução em câncer de mama e colo de útero - foi estruturada para prestar assistência de média e alta complexidade em caráter eletivo e funcionar como retaguarda para a rede de urgência.

O objetivo é realizar diagnóstico e tratamento clínico e cirúrgico de doenças que acometem à mulher, desde a puberdade à menopausa, como, por exemplo, ginecologia, mastologia e serviço de planejamento familiar e de média complexidade em reprodução humana assistida, além do amparo às vítimas de violência sexual.


Hospital da Mulher
(Foto: Pedro Moraes/GOVBA)


Segundo maior hospital especializado no atendimento à saúde da mulher do Brasil, ele contará com dez salas cirúrgicas e 136 leitos, dos quais 97 destinados à internação, dez leitos de UTI e 29 leitos para hospital-dia. O centro de diagnóstico estará equipado com tomógrafo computadorizado, ultrassom, doppler scan, raio-X e laboratório 24 horas. O governo baiano investiu R$ 40 milhões nas obras de reforma do antigo Hospital São Jorge e na aquisição de equipamentos.