30 de jan de 2017

Cigano Marcílio é executado em Guanambi

Os suspeitos na fuga desceram em alta velocidade e em frente ao Trevo da Avenida Barão do Rio Branco, colidiram com outro veículo, que se preparava para realizar uma conversão. Os dois veículos rodaram na pista, em seguida, os quatro elementos fugiram a pé.

Um homem foi executado na manhã desta segunda-feira (30), em Guanambi, Sudoeste da Bahia. Salvador Oliveira Dourado (Marcílio Cigano). Ele foi morto defronte ao prédio da Bial, na Avenida Governador Nilo Coelho próximo ao Detran.
 As primeiras informações dão conta que quatro elementos em um veículo Spacefox de cor preta, chegaram até Marcilio, que se encontrava no local e efetuaram pelo menos dois disparos, possivelmente um revólver e uma espingarda.
Um tiro atingiu o rosto de Marcílio que tombou próximo ao veículo que ocupava um Fiat Strada de placas PJS 0956. Os suspeitos na fuga desceram em alta velocidade  e em frente ao Trevo da Avenida Barão do Rio Branco, colidiram com outro veículo, que se preparava para realizar uma conversão. Os dois veículos rodaram na pista, em seguida, os quatro elementos fugiram a pé.
Uma espingarda, supostamente usada no crime, foi apreendida no Spacefox com placas de Pelotas no Rio Grande do Sul INW 5538. Marcílio tem um histórico de crimes tendo sido preso algumas vezes, inclusive por participação no chamado “Massacre dos Ciganos” ocorrido em maio de 2007.
Um grupo com mais de dez ciganos teriam invadido um bar localizado na principal praça do bairro e executaram o tenente da PM, Gilson Santiago Messias Junior, 22 anos e o comerciante Paulo Sergio Castro Araújo, de 29 anos, com três tiros cada e vários golpes de arma branca. Quatro ciganos também foram mortos na ocasião.
Por Bonny silva
EDIÇÃO: