7 de dez de 2016

ODEBRECHT LANÇA NOVO TÍTULO DO PRÊMIO DE PESQUISA HISTÓRICA

6/12/2016 12:21
BAHIA ECONÔMICA


Organizado pelos historiadores Magnus Roberto de Mello Pereira e Ana Lúcia Rocha Barbalho da Cruz, “Os naturalistas do Império - O conhecimento científico de Portugal e suas colônias (1768-1822)” aborda a relevância portuguesa no processo de pesquisa de fauna e flora e a disseminação deste conhecimento em terras brasileiras.

O livro apresenta o interesse e curiosidade dos europeus sobre as ciências naturais como consequência de antigo hábito de se colecionar amostras de pedras e conchas, variedades de exemplares de flora e fauna desconhecidas e inexploradas.

A obra traz curiosidades sobre a história dos jardins franceses, hortos médicos e jardins palacianos ingleses. Lembra ainda o primeiro jardim botânico estabelecido no Brasil, construído por Maurício de Nassau, no Complexo de Friburgo, em Recife, onde ficava o palácio sede da administração colonial da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais (West-Indische Compagnie, ou WIC) no Brasil.

Os autores apresentam também o papel de D. Rodrigo de Souza Coutinho, Ministro da Marinha e Ultramar de Portugal, que ordenou a criação de jardins botânicos às principais colônias portuguesas.

Criado em 2003, o Prêmio Odebrecht de Pesquisa Histórica – Clarival do Prado Valladares é uma iniciativa cultural da Organização Odebrecht conferida anualmente a um projeto de pesquisa inédito que trate de tema ligado à história do Brasil.