27 de mar de 2016

Inscrição de Victor Ramos no Baianão pode ser irregular por conta do BID; FBF lava as mãos

Sábado, 26 de Março de 2016 - 19:55

BAHIA NOTÍCIAS

por Ulisses Gama / Luiz Fernando Teixeira
Inscrição de Victor Ramos no Baianão pode ser irregular por conta do BID; FBF lava as mãos
Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias
O Vitória pode ter se envolvido em um imbróglio jurídico por conta do zagueiro Victor Ramos, que estreou no Campeonato Baiano neste sábado (26), na partida contra o Flamengo de Guanambi. Isso por conta da demora da publicação do atleta no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O parágrafo terceiro, do artigo 20 do regulamento do torneio prevê que em “transferências internacionais, independentemente do protocolo dos documentos de registro e inscrição, o atleta só terá condição legal de jogo após a devida concessão da transferência pela CBF e se o seu nome estiver incluído no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF até às 19h (dezenove horas – horário de Brasília) do dia 16 de março de 2016” (clique aqui para ler). Porém, a divulgação do nome de Victor Ramos só aconteceu no dia 18 deste mês, apesar da “data início” do contrato de empréstimo com o Monterrey constar como 16 de março.



Consultado pelo Bahia Notícias, o presidente da Federação Bahiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, honrou a semana santa e lavou as mãos sobre o ocorrido.  “A questão de não entrado no BID na data correta, cabe a Reynaldo Buzzoni, diretor de Registros e Transferências. De acordo com o regulamento da federação no registro foi feito corretamente, no dia 16”, disse Ednaldo. De acordo com ele, a transferência de Victor Ramos aconteceu através de TMS, sigla para Transfer Matching System (sistema utilizado para transações internacionais), e envolveu a Federação Internacional de Futebol (Fifa), a CBF e o Palmeiras, último clube de Victor Ramos (clique aqui para ler). O zagueiro precisou de uma autorização especial da Fifa para competir no Baianão, mas “a FBF não pode responder por isso”, declarou o presidente da federação, eximindo-se da competição realizada sob a sua tutela e repassando a responsabilidade para a CBF. O BN tentou contato com Reynaldo Buzzoni, citado por Ednaldo, e com a assessoria de comunicação da CBF, mas não obteve respostas até o fechamento da matéria. Já o presidente do Vitória, Raimundo Viana, só irá falar sobre o caso após o jogo do clube.