30 de mar de 2016

A foto que constrange o movimento golpista


IGO ESTRELA: <p>Reunião do diretório nacional do PMDB, que oficializou o desembarque do governo federal</p>
Uma das imagens emblemáticas do golpe foi tirada ontem, quando Eduardo Cunha, Romero Jucá e Eliseu Padilha, três notórios peemedebistas, ergueram as mãos no dia do desembarque do PMDB; para quem foi às ruas gritar contra a corrupção, chega a ser constrangedor ver as faces dos homens que estão pestes a assumir o poder; Cunha, presidente da Câmara, é réu no STF por corrupção e Jucá está na lista de parlamentares investigados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na Lava Jato; jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, aponta um fator importante: "governo algum é capaz de se sustentar sem legitimidade. Que dirá a de quem não teve e não teria voto algum"; "'Temer Presidente'" pode ser gritado num salão com um cento de políticos, mas não pode ser gritado em esquina alguma do país", afirma. 247 BRASIL