9 de fev de 2016

Mudança ignora imposição de marca no carnaval e 'inverte' cerveja vetada

Segunda, 08 de Fevereiro de 2016 - 15:00

BAHIA NOTÍCIAS

por Francis Juliano


Mudança ignora imposição de marca no carnaval e 'inverte' cerveja vetada
Foto: Jonatas Anjos/Ag Haack/Bahia Notícias

O Largo do Garcia se transformou em uma zona franca para  consumidores de cerveja nesta segunda-feira (8) de carnaval . Do laranja imposto pela marca Schin, o que predominou na concentração do tradicional movimento carnavalesco Mudança do Garcia foi o amarelo da Skol. De bronca com a prefeitura, a aposentada Aliomar Teixeira afirmou em entrevista ao Bahia Notícias que "se está pagando", tem direito de escolher. "Acho o cúmulo. Eu não posso ser obrigada a tomar aquilo que o prefeito quer", soltou. No mesmo bar, a alguns metros de Aliomar, o técnico de operações Roberto Lopes pede para se manifestar. "Por que esse monopólio? Isso é uma falta de respeito. O povo precisa ter o direito de escolha", reclama enquanto esvazia mais um copo da cerveja vetada. Metros abaixo, no meio da rua sob um sol ainda mais amarelo, um grupo curte um momento de rebeldia. Fazem uma roda para tomar a bebida confiscada em outros pontos do circuito. O vendedor Adelson Gonçalves, que até tem um visão otimista da gestão ACM Neto, critica o alcaide pela determinação de um tipo de cerveja na folia soteropolitana. "Eu até vejo que em nível de gestão, ele realiza até uma boa administração, mas o que ele fez agora é  ditadura. Eu não vou em um lugar onde só há um produto. Entendo que deve se procurar receita para o município, mas isso não pode ser negociado para prejudicar o cidadão", criticou. Um colega de Adelson, que não quis se identificar, conta que trabalhou para o avô do prefeito e afirmou que nem mesmo o chefe do executivo soteropolitano inverte uma schin nos momentos de lazer. "Rapaz, eu conheço ele (prefeito) desde quando era criança, nem ele bebe essa cerveja", pilheriou o folião.