6 de nov de 2015

CRISE POLÍTICA AFETA DIREÇÃO GERAL DO TCM

BAHIA ECONOMICA
 

 
O presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), conselheiro Francisco Netto, disse desconhecer o envolvimento de qualquer servidor com os fatos apurados pela Polícia Federal na operação Infecto.

O conselheiro informou  que pretende procurar o delegado que preside o inquérito para se informar e, se for o caso, tomar as medidas administrativas necessárias. Na sua função de fiscalização de contas, o TCM já vem, segundo o conselheiro, cooperando com outros órgãos de controle público, como a Polícia Federal, o Tribunal de Contas da União (TCU), e o Ministério Público Estadual e o Federal.
 
Francisco Netto lembrou, ainda, que essa parceria ajudou a deflagrar, em julho, a Operação Águia de Haia, cujos dados são, em parte, resultado da ação fiscalizatória do TCM-BA. Nesta operação, a Polícia Federal desarticulou  uma organização criminosa que desviou mais de R$ 57 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A Polícia Federal esteve na casa do prefeito de Paramirim, Júlio Bernardo (PSD),  e cumpriu mandados de busca e apreensão em outras 17 cidades baianas. (A Tarde)