30 de out de 2015

SERRA DOS MONTES ALTOS: OBSERVATÓRIO FG PROMOVE DEBATE SOBRE PRESERVAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL

A FG realizou, na noite desta quarta-feira (28), uma Mesa Redonda com o tema: “Parque Estadual da Serra dos Montes Altos – a importância da conservação para o Semiárido”. O evento reuniu mais de mil participantes, entre comunidade acadêmica, pesquisadores do tema e representantes da comunidade regional. O debate foi articulado pelo Observatório FG do Semiárido Nordestino e colocou em pauta os possíveis impactos da implantação de um complexo eólico no Parque.
Recentemente foi protocolada, na Assembléia Legislativa do Estado da Bahia, a Proposição Indicativa Nº 21.375/2015, na qual consta pedido de elaboração de Norma Legal cuja finalidade é viabilizar a implantação de parque eólico no Parque Estadual da Serra dos Montes Altos (PESMA). Diante de tal atitude, ONG’s locais, professores e estudantes universitários e outros representantes da sociedade civil se uniram em defesa do PESMA, criando o movimento “Salve o Parque Estadual da Serra dos Montes Altos”.
IMG_3297A professora Adonay Nogueira, organizadora do evento na FG, ressaltou que implantação de um parque eólico envolve diretamente toda a microrregião de Guanambi no que tange à comunidade e gestores políticos. “A comunidade precisa participar do debate e saber o que de fato está acontecendo. Há uma riqueza da biodiversidade do Parque Estadual da Serra dos Montes Altos, único conservado na região, que precisa ser preservada. O debate de hoje à noite serviu para convidar a população para discutir o assunto junto com a comunidade acadêmica”, afirmou.
Segundo o diretor acadêmico administrativo da FG, Georgheton Nogueira, dos papeis que cumpre a Faculdade na região de Guanambi, um dos principais é o de fazer a interlocução, com a sociedade, dos grandes temas que interferem nos interesses e no destino do território regional. “O conhecimento que é produzido aqui, as pesquisas e projetos de extensão têm que estar em diálogo com os debates que estão surgindo. Este momento é importante porque exercita este papel. A importância da FG está em estimular e abrir espaço para que o debate aconteça”, disse.
Parque Estadual da Serra dos Montes Altos  – O Parque Estadual da Serra dos Montes Altos foi criado através do Decreto Estadual 12.486/2010 e abrange territórios dos municípios de Palmas de Monte Alto, Guanambi, Sebastião Laranjeiras, Urandi, Pindaí e Candiba. De acordo com a Lei Federal 9.985/2000 é uma Unidade de Conservação (UC) da Categoria Proteção Integral, que tem como objetivos: assegurar a conservação da biodiversidade regional; garantir a manutenção de espécies ameaçadas de extinção; proteger e regenerar os ecossistemas naturais de transição entre Caatinga e Cerrado; manter e recuperar os mananciais d’água e possibilitar atividades de educação ambiental e pesquisa científica.
O Prof. Dr. Joaquim Perfeito, pesquisador da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e autor do livro “Territórios e Ambientes da Serra de Monte Alto”, publicado pela UESB em 2012, afirmou que os impactos da instalação de um complexo eólico no PESMA seriam desastrosos. “A serra é considerada como uma grande caixa d´água, pois armazena água das chuvas e as expande para o território no entorno. Com a implantação da eólica, as nascentes tenderão a secar, repercutindo prejuízos ambientais, sociais e econômicos”, afirmou, também ressaltando a importância da preservação do patrimônio arqueológico do PESMA.
Já o vereador do município de Pindaí, Tibério Fausto, defendeu a criação do parque eólico e afirmou que “os que se dizem defensores do PESMA não conhecem o local”. Fausto afirmou que acompanha os trabalhos das empresas que constroem os parques eólicos na região e enfatizouIMG_3160 que estas fazem trabalhos transformadores nas comunidades onde atuam. Por fim, defendeu que as torres eólicas implantadas de forma consorciada com a área de preservação sejam a solução para a conservação do parque, uma vez que trará renda para investimentos.
A mesa Redonda foi coordenada pelo Prof. Carlos Magno Clemente, coordenador do Observatório do Semiárido, e contou com a participação de Marco Antônio Veira Jungler, presidente da OAB – Subseção Guanambi;  Juliano Vilas Boas, membro do Centro Agroecológico do Semiárido; Jackson Nascimento, historiador; Alcebíades Laranjeira Segundo, conselheiro do PESMA; Lailton Câmara, biólogo e ex-gestor do PESMA; e Daniel Lima, filósofo. FG