4 de out de 2015

O 'toma lá da cá' e a turma do 'venha a nós'

A TARDE

A pergunta que a mídia começou a fazer: por que a oposição silencia (quando não é dócil) em relação a Eduardo Cunha? Simples. O discurso da moralidade é só falácia. A oposição usa os princípios da moral para atender às suas conveniências (prática corriqueira no jogo político), que é derrubar Dilma.

Na cultura política brasileira tornou-se comum, do Oiapoque ao Chuí, obviamente passando pelo Planalto, desfraldar o combate a indecências no trato da coisa pública para atingir o adversário e tomar-lhe o lugar. E uma vez no poder, decepção; às vezes, o arauto dos bons costumes de antes é tal e qual, ou pior. O exemplo mais cabal da atualidade é o próprio PT. Na oposição, parecia ser o dono da moral. No governo, lambuzou-se todo, numa escala do tamanho da eloquência com que apontava os outros.

Num país minimamente sério, também no mínimo Eduardo Cunha estaria afastado da presidência da Câmara.

E o que ocorre? De um lado, ele nomeia ministros e o governo assente porque prefere vê-lo fraco, mas do lado. De outro, acena para a oposição dizendo: 'Eu não caio antes dela'.

E nós ficamos no meio disso, a turma do toma-lá-dá-cá e a do venha a nós.

Triste Brasil. As referências de decência confiáveis resumem-se a uns gatos pingados.
A TARDE - COLUNA TEMPO PRESENTE