Deputados querem mais rapidez nas obras da Adutora


Deputados querem antecipação do projeto para evitar colapso no abastecimento dos municípios da Serra Geral.
Arquivo Gabinete  
Representantes de Guanambi levam demandas para ministro da Integração


O início imediato das obras da Adutora do São Francisco foi a principal pauta da audiência entre o deputado federal Daniel Almeida, a deputada estadual Ivana Bastos (PMDB), o ex-vereador Paulo Costa e o ministro da Integração, Fernando Bezerra. A reunião aconteceu na última quarta-feira (09), em Brasília.
 
O projeto aprovado e já licitado está pronto para ser iniciado. Segundo Paulo Costa, as áreas para a implantação das estruturas civis já foram adquiridas ou liberadas pelos proprietários. A empresa Hydros Engenharia e Planejamento iniciou o projeto executivo, porém as obras civis, apesar de licitadas, aguardam contratação.

"A população está ansiosa para ver o início das obras. Sabemos que as tubulações já foram adquiridas e encontram-se estocadas nas unidades de apoio em Malhada, Palmas de Monte Alto e Guanambi. A região é carente e não pode continuar sofrendo com a falta de água", cobrou, o líder político.

Sempre presente nas lutas pela melhoria da qualidade de vida da população da Serra Geral, o deputado Daniel informou que o ministro foi muito sensível à solicitação. "Ele informou que já esteve com o governador Jacques Wagner e este demonstrou interesse em gerir a obra, o que deverá ocorrer dentro em breve", destacou Daniel.

A adutora terá 212 km e vai transpor água do Rio São Francisco para abastecer as populações de Malhada, Iuiu, Palmas de Monte Alto, Guanambi, Matina, Candiba e Pindaí, além de importantes distritos destes municípios situados no sudoeste baiano.

O investimento para a construção da adutora será de aproximadamente R$ 150 milhões. Depois de pronta será uma solução definitiva para a falta de água na região, beneficiando aproximadamente 300 mil pessoas.

Obra Emergencial


Enquanto a Adutora do São Francisco não fica pronta, para evitar um colapso no abastecimento das cidades de Guanambi, Candiba e Pindaí, cujos mananciais utilizados estão em fase crítica, os parlamentares sugeriram a autorização de uma obra emergencial.

A obra consiste na canalização da água bruta do Rio São Francisco para o açude de Ceraíma. Enquanto se conclui o projeto principal, o sistema emergencial utilizaria paralelamente, as unidades da Adutora. "Esta é uma solução emergencial, pois se não tivermos chuvas até nos próximos meses, em junho o sistema entra em colapso", prevê a deputada estadual Ivana Bastos (PMDB).

Segundo a parlamentar, a antecipação do projeto, além de garantir o abastecimento, pode gerar uma economia de R$ 7,5 milhões aos cofres públicos, uma vez que, sem água, o estado será obrigado a contratar caminhões tanque para abastecer a população local.
 
O ministro Fernando Bezerra autorizou um estudo de viabilidade da proposta. Técnicos do ministério iniciaram imediatamente um levantamento junto a Codevasf para a construção do sistema paralelo.
Share:

Nenhum comentário:

Acesse e Leia!

Seguidores

Mais Vistos da Semana

Arquivo do blog

Arquivo do blog